Tamanho da fonte: -A+A

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre vai migrar seu sistema de Gestão Hospitalar (AGH), construído em arquitetura cliente/servidor, na plataforma Oracle Forms/Oracle 9i, para uma versão em software livre.

Para a execução do projeto serão contratados 34 profissionais de TI, que juntos receberão R$ 3,5 milhões ao ano e trabalharão em Porto Alegre.

Já os custos de hardware e software serão limitados a R$ 500 mil, uma vez que grande parte dos recursos já existentes no HCPA será reutilizada.

O projeto teve início em maio deste ano, quando HCPA e Ministério da Educação fecharam acordo de desenvolvimento do AGHU (Aplicativos para Gestão dos Hospitais Universitários).

O objetivo é que a plataforma subsidie a disseminação do modelo de gestão homologado pelo MEC para todos os 46 Hospitais Universitários do Brasil e para demais interessados, uma vez que a plataforma estará disponível no Portal do Software Público.

Segundo Sérgio Felipe Zirbes, assessor da Presidência do HCPA e responsável pela condução do projeto, a atualização tecnológica implica no armazenamento dos dados de pacientes em banco de dados PostgreSQL e na codificação dos programas para acessá-los em linguagem Java.

“Trata-se de projeto bastante complexo que transformará um sistema crítico, de grande porte, desenvolvido originalmente e executado em ambiente proprietário, em outro sistema similar, porém desenvolvido e para operação totalmente em ambiente não-proprietário”, explica Zirbes, detalhando que são 2,9 mil tabelas no banco de dados Oracle e em torno de 2,4 mil forms.

De acordo com Zirbes, o sistema de gestão que será transformado em software livre vem sendo construído ao longo dos últimos vinte anos e é reconhecido como um dos mais completos do país. Sua estrutura gira em torno do Prontuário Eletrônico do Paciente, que hoje já pode ser certificado digitalmente.

“Futuramente, esse modelo de gestão será continuamente aperfeiçoado através de um comitê gestor multidisciplinar composto por uma equipe do MEC e equipes dos hospitais que desejarem contribuir com o projeto”, afirma Zirbes.

A gerência técnica do projeto ficará a cargo de consultores do HCPA e do Departamento de TI do MEC. Terá ainda um Comitê Gestor, constituído por representantes do HCPA, do MEC, de reitores e presidentes de universidades que detém os hospitais.

A instalação da primeira equipe de desenvolvimento no HCPA já foi contratada e parte da equipe já se encontra trabalhando no projeto. Os investimentos para a conversão do sistema correrão por conta do MEC, com contrapartida do HCPA.

“Não tenho ciência de que algum hospital brasileiro siga hoje este modelo tecnológico. Ao contrário, se trata de um modelo inovador para missões críticas e do porte do AGH”, declara.

Contratações continuam

Um novo edital será aberto para a contratação de analistas de negócio, desenvolvedores, arquitetos, testadores e integradores. O edital deve ser lançado em duas semanas, no site do FNDE.