A Intel deu início à fabricação de seu disco de estado sólido de mais alto desempenho, o Intel X-25E Extreme SATA Solid State Drive, voltado para servidores, workstations e sistemas de armazenamento.

Ao contrário dos discos mecânicos, os SSDs não possuem nenhuma parte móvel e, ao invés disso, contam com a tecnologia de memória flash NAND single level cell (SLC) de 50nm. 

Segundo a Intel, os sistemas equipados com esses discos não sofrerão com gargalos de desempenho associados aos discos convencionais. Ao reduzir os custos totais com infra-estrutura, resfriamento e energia, os SSDs podem reduzir os custos totais para aplicações empresariais em mais de cinco vezes.

O Intel X25-E promete melhorar o desempenho de servidores, workstations e sistemas de armazenamento em 100 vezes em relação aos discos rígidos quando comparamos as operações de entrada/saída por segundo (IOPS, sigla em inglês), o principal parâmetro de desempenho de armazenamento atual.

Um sistema de armazenamento que utilize SSDs também pode reduzir os custos com eletricidade em até cinco vezes, um benefício adicional para empresas focadas em reduzir gastos com eletricidade.

As principais especificações técnicas de desempenho do Intel X-25E SATA SSD de 32GB incluem 35.000 IOPS (4KB de Leitura Randômica), 3300 IOPS (4KB de Gravação Randômica) e uma latência de 75 microssegundos para a leitura.

Esse desempenho, combinado ao baixo consumo de 2.4 watts em estado ativo, oferece até 14.000 IOPS por watt para um melhor desempenho/consumo.

O produto também atinge velocidades de leitura seqüencial de até 250 megabytes por segundo e até 170 MB/s de velocidade de gravação seqüencial.
 
O X25-E de 32GB é capaz de gravar até 4 petabytes (PB) de dados em um período de três anos (3.7 TB/dia), e a versão de 64GB dobra esse valor. 

O disco com capacidade de 32GB já está sendo produzido e custa US$ 695 por unidade, para lotes com até 1 mil unidades. A versão de 64GB deverá começar a ser testada no quarto trimestre, com a produção esperada para o primeiro trimestre de 2009.