Cisco defende sua inocência

19/10/2007 00:27

Até o momento, a Cisco não acredita que tenha agido de forma “inapropriada” no Brasil. É a principal afirmação contida na nota divulgada pela multinacional à imprensa nesta quinta-feira, 18.

Tamanho da fonte: -A+A

Até o momento, a Cisco não acredita que tenha agido de forma “inapropriada” no Brasil. É a principal afirmação contida na nota divulgada pela multinacional à imprensa nesta quinta-feira, 18.

No texto, a empresa destaca que não importa produtos diretamente para o país e que as importações são feitas por revendedores. Por outro lado, a Cisco garante que está empenhada em “compreender a situação atual em todos os seus detalhes”, ao mesmo tempo que coopera com as autoridades e conduz uma investigação interna.

A empresa aponta que dos 44 mandatos de prisão emitidos pela Justiça, apenas quatro são de funcionários seus. Ainda de acordo com a nota, a Cisco “assumirá responsabilidade e tomará as medidas cabíveis assim que forem finalizadas as investigações dos fatos”.

Confira a nota na íntegra:

Sobre as questões levantadas a respeito da investigação em curso na Polícia Federal, a Cisco vem a público prestar os seguintes esclarecimentos:

A Cisco tem participado desde o início, e de forma decisiva, da construção da Internet no Brasil. A Cisco se orgulha de suas contribuições para a economia brasileira, fornecendo redes críticas de Internet, e de sua participação ativa na promoção da inclusão digital no País. Nossa ética, integridade e obediência às leis são os valores centrais de nossa empresa.

Analisando os fatos aos quais tivemos acesso, não acreditamos que a Cisco agiu de forma inapropriada. Destacamos que a Cisco não importa produtos diretamente para o Brasil. As importações são feitas por revendedores. A Cisco está cooperando plenamente com as autoridades e, paralelamente, conduzindo uma meticulosa investigação interna. Diante desse desafio, seremos fiéis à nossa política de transparência.

Neste momento estamos empenhados em compreender a situação atual em todos os seus detalhes. Dos 44 mandados emitidos pelas autoridades brasileiras, quatro se referem a funcionários da Cisco.  Nossos esforços estão voltados aos quatro funcionários detidos e apoio às suas famílias, assim como ao bem-estar das centenas de profissionais da Cisco no Brasil e aos muitos outros que auxiliam no suporte aos nossos clientes.

A Cisco assumirá responsabilidade e tomará as medidas cabíveis assim que forem finalizadas as investigações dos fatos.  A cultura e a integridade de nossa empresa impõem essa conduta. Até que os fatos sejam totalmente conhecidos, seria prematuro e irresponsável de nossa parte especular sobre a situação.

Estamos tomando todas as medidas necessárias junto aos nossos parceiros para garantir a continuidade e o bom atendimento aos nossos clientes no Brasil.