A Creston, especializada em automação corporativa e residencial, quer conquistar, em cinco anos, a liderança do mercado brasileiro, a exemplo do posto que já tem globalmente, com market share de 70%, segundo dados próprios.

Com meta de crescer 30% ao ano no país, a empresa projeta a abertura de um Crestron Experience Center em São Paulo, onde já mantém unidade com 15 colaboradores diretos.  

O espaço seguirá o modelo de similares abertos recentemente na Bélgica, China, Londres e EUA, cada um com investimento superior a US$ 1 milhão.

Durante a crise econômica, a companhia investiu em contratações e cadastro de canais no país - hoje, além dos empregados diretos, a empresa mantém milhares de indiretos em mais de cem revendas espalhadas por todo o território nacional.

“Aumentamos o número de profissionais enquanto a concorrência o reduzia”, destaca Jason Tirado, diretor Internacional de Vendas da companhia. “O mercado brasileiro está apenas começando para nós. Pretendemos nos expandir em vendas, marketing e faturamento nos próximos meses”, completa.

Segundo o executivo, a Crestron tem dobrado os dígitos de crescimento nos mercados dos Brics nos últimos anos, mas apesar do bom momento também na Rússia, Índia e China, o Brasil e a América latina deverão ser os motores de 2011.

“Este ano, 20% de nossa receita global virá da América Latina”, destaca Tirado.

Hoje, nos países emergentes, lideram as vendas da companhia os produtos para controle de iluminação, como o carro-chefe iLux, que é remotamente controlado pelo software de segurança Fusion Roomview.

Também são vedetes do portfólio os sistemas de gerenciamento de sinais de alta definição, como o Digital Media Crestron.

Conforme Tirado, em dois anos, 25% dos negócios da empresa ao redor do mundo vieram desta solução, que permite transmitir áudio, vídeo e data control por um único cabo.

Na trilha do esporte
Ainda segundo o executivo internacional da empresa, o plano também é crescer no Brasil com a Copa do Mundo e as Olimpíadas.
Experiência para isso, já tem: a Crestron foi responsável por toda a automação das Olimpíadas de Inverno do Canadá em 2010.

Na Casa Branca...
Os sistemas de automação da companhia também contam com o respaldo de clientes de peso, como a Casa Branca, a Nasa, órgãos de segurança israelenses e, por aqui, o Palácio do Planalto.

... e na sua casa
Mas nem só os clientes gigantes estão no foco da companhia: em automação residencial, os sistemas do portfólio estão disponíveis para prédios de todos os portes.

“Temos soluções como um pequeno computador, menor do que um conversor de TV, que podem centralizar o controle da iluminação, da música, do home theater e da temperatura ambiente”, afirma Tirado.

Outro exemplo de solução para o morador “comum” são sensores para controle de iluminação por movimento, sistemas de segurança e vigilância à distância, entre outros.

“Os comandos desses equipamentos podem ser realizados a partir de um controle remoto, iPod, iPhone, iPad e pela Internet”, destaca o diretor.

Já em automação corporativa e governamental, a oferta no Brasil foca as áreas educacional, de saúde, cultural e centros de eventos, templos e hotelaria.

“No país, já estamos presente em bancos, empresas do mercado financeiro e indústrias”, finaliza Tirado.

Global
Com sede nos EUA, a Crestron tem 57 escritórios ao redor do mundo, empregando 2,5 mil funcionários e com faturamento na casa dos US$ 500 milhões/ano.

Além da América do Norte e Bric, a companhia atua no Reino Unido, Alemanha e Oriente Médio.