O CEO da HP, Mark Hurd, se demitiu. O anúncio oficial foi feito na sexta-feira, 06, depois de encerrado um processo interno de investigações envolvendo acusações de assédio sexual.

O caso veio à tona quando um conselheiro externo da HP enviou uma carta à empresa, em nome da suposta vítima, em 29 de junho. A partir daí, o Conselho de Administração interno da empresa iniciou a investigação que, embora não tenha apontado confirmação das denúncias de assédio, indicou que Hurd "quebrou alguns dos padrões” da companhia na condução de negócios.

Com isso, o conselho aceitou a demissão do CEO, que declarou ter decidido deixar a empresa por não atingir princípios de confiança, respeito e integridade que sempre prezou dentro da HP.

Segundo ele, a demissão foi a saída encontrada depois de uma série de reuniões com o Conselho de Administração, que optou por procurar outro executivo para comandar as operações da empresa.

"Foi uma decisão muito dolorosa, mas acredito que seria muito difícil para mim continuar à frente da HP”, destacou Hurd.

O diretor do conselho de administração da HP, Robert Ryan, declarou que a demissão do ex-CEO não tem qualquer ligação com o desempenho financeiro da empresa.

Até agora, a empresa não definiu um substituto para Hurd. Entretanto, o nome da diretora financeira Cathie Lesjack foi indicado pelo conselho.