Tamanho da fonte: -A+A

A Digicon, de Gravataí, será a responsável pelo Sistema de Controle de Arrecadação e de Passageiros (Scap) da nova Linha 4 do Metrô de São Paulo.

A companhia, que possui unidades em Barueri, São Paulo, Alphaville, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador Brasília, fará o projeto, fornecerá as soluções e responderá pela implementação da estrutura, totalizando um contrato de R$ 15 milhões.

Pelo projeto, dentro de um ano cinco estações da Linha 4 estarão operando com o sistema da empresa gaúcha. Depois do Scap, a idéia é substituir todas as catracas da linha por portas de vidro com bloqueio automático. Este, porém, é um plano para os próximos cinco anos.

Fundada em 1977, a Digicon é especializada no projeto e desenvolvimento de equipamentos para automação industrial e controle de processos. Entre os principais produtos do portfólio estão sistemas de bilhetagem eletrônica, controladores de acesso (catracas), de tráfego viário e de estacionamento rotativo (parquímetro), periféricos para indústria de transformação e componentes para o mercado aeronáutico.

Além da empresa, formam o Grupo Digicon a Perto, especializada em automação bancária, comercial, de meios de pagamento e auto-atendimento, além de mecanismos dispensadores e cofres em sistema OEM; e a Numericon, que fabrica sistemas de coleta de dados de chão de fábrica, usados em indústrias como metalúrgicas, de plásticos, de vidro, engarrafamento, calçadista, de produtos brancos e automotivos, entre outras.

Além do Metrô de São Paulo, a Digicon já atendeu a diversos outros órgãos e empresas da capital paulista, como a Secretaria Municipal de Transportes da cidade no projeto Via Livre, que objetiva agilizar o trânsito nos grandes corredores, reduzindo o tempo de deslocamento dos ônibus. Para esta iniciativa, a companhia gaúcha forneceu cerca de 130 controladores de tráfego CD 200 Plugin, que possibilitaram diminuir o tempo de percurso dos ônibus em até 28%.

Outros clientes são a Transerp - Empresa Pública de Transporte de Ribeirão Preto, que firmou contrato com a empresa de Gravataí para promover a manutenção de seus 405 cruzamentos semaforizados, por meio de 105 controladores eletrônicos.

No Rio Grande do Sul, um case exemplar é a EPTC, para quem a Digicon implantou a estação de amostragem Visio, que mede o fluxo de veículos nas entradas e saídas da cidade para controle do trânsito e possíveis ajustes na circulação de veículos.