A Justiça Eleitoral economizou cerca de 4 mil toneladas de papel, desde a primeira eleição em que adotou a urna eletrônica, em 1996.

O número de árvores preservadas corresponde a área de 28 maracanãs, informa o TSE.

O cálculo é feito a partir da quantidade de papel que o eleitor deixou de usar com as cédulas eleitorais. Em cada eleição, um eleitor utilizava duas cédulas, sendo de formato A5, o que totalizava uma folha de papel A4 por eleitor.

De acordo com dados que mostram o número de eleitores atualizado em março de 2010, sem contar com os novos eleitores cadastrados até o último dia 5 de maio, existem 133 milhões de eleitores no Brasil.

Com base nesse dado, apenas no primeiro turno das eleições 2010 seriam gastos cerca de 600 toneladas de papel apenas no primeiro turno. Isso porque o segundo turno é realizado apenas para eleições majoritárias e, por isso, seria usada apenas uma folha A5 por eleitor, ou seja, metade desse número.

Somando apenas o primeiro turno de todas as eleições desde 1996, seria necessário um gasto de 3,78 mil toneladas de papel.