A Teradata, especializada em data warehousing, big data analytics e gerenciamento de marketing integrado, fechou 2011 com faturamento de US$ 2,362 bilhões, alta de 22% em relação ao US$ 1,936 bilhão de 2010.

Só no quarto trimestre do ano, a receita ficou em US$ 673 milhões, crescimento de 23% ano/ano.

Também no 4T11, o lucro operacional da companhia foi de US$ 133 milhões, contra US$ 117 milhões registrados no mesmo período de 2010.

Regionalmente, o mercado da Ásia-Pacífico foi o melhor para a companhia no trimestre. Por lá, a Teradata cresceu 28%, somando US$ 113 milhões de receita.

Nas Américas, incluindo Brasil e América Latina, o 4T11 fechou com faturamento de US$ 415 milhões, ganho anual de 22%.

Na região EMEA, composta por Europa, Oriente Médio e África, a empresa faturou US$ 145 milhões no último quarter do ano passado, aumento também de 22% sobre o mesmo período de 2010.

Conforme o presidente e CEO da Teradata, Mike Koehler, para 2012 a projeção da empresa é se expandir de 10% a 12% em receita.

Analistas da própria companhia preveem  que a conversão de moeda poderá impactar negativamente a comparação da receita ano sobre ano em cerca de 1%, com base em taxas de câmbio de 31 de janeiro de 2012.

O lucro GAAP esperado por ação da companhia para o ano de 2012 é de US$ 2,27 a US$ 2,37.