CORRIDA DE PCs

Lenovo abre vantagem sobre Dell

16/04/2012 11:03

A Lenovo aumentou a vantagem sobre a Dell no mercado de computadores pessoais no primeiro trimestre desse ano, frente ao ano passado.

As vendas aumentaram 43,7%, atingindo 11,7 milhões de unidades entregues. As da Dell, por outro lado, caíram 2,1%.

Desta forma, a fabricante chinesa conquistou 13,4% do setor nos três primeiros meses deste ano, se aproximando da HP, que obteve 18% - crescimento de 3,2% em relação ao 1T11 - e se distanciando da Dell, que ficou com 11,6%.

Foto: Divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A Lenovo aumentou a vantagem sobre a Dell no mercado de computadores pessoais no primeiro trimestre desse ano, frente ao ano passado.

As vendas aumentaram 43,7%, atingindo 11,7 milhões de unidades entregues. As da Dell, por outro lado, caíram 2,1%.

Desta forma, a fabricante chinesa conquistou 13,4% do setor nos três primeiros meses deste ano, se aproximando da HP, que obteve 18% - crescimento de 3,2% em relação ao 1T11 - e se distanciando da Dell, que ficou com 11,6%.

Vale lembra que, caso os tablets sejam considerados PCs, a Apple assume a primeira colocação.

Para Jay Chou, analista da IDC, embora a HP tenha se recuperado ela terá de fazer mais para impedir que a Lenovo tome seu lugar.

Ao todo, o mercado de computadores pessoais avançou 2,3% frente ao primeiro trimestre do ano passado, alcançando 87 milhões de unidades comercializadas e superando as expectativas do instituto, que esperava uma queda de 0,9%.

A tendência é que as vendas ganhem novo impulso no final do ano, graças ao lançamento do Windows 8, que deve ocorrer em outubro.

Veja também

Venda de PCs cresce 2,6% no 3T11

Com 90,36 milhões de unidades comercializadas, as vendas de PCs cresceram 2,6% mundialmente no terceiro trimestre de 2011 (3T11), segundo a consultoria de mercado iSuppli.

No mesmo período do ano anterior, o número chegou a 80,09 milhões.

Na comparação com o segundo trimestre a alta foi de 5,5%.

A HP segue na liderança mundial do setor, com participação de 18% nas vendas mundiais de PCs no terceiro trimestre.

IlhaService vende Dell

A fabricante de PCs IlhaService, de São José, acaba de fechar um contrato com a Dell para representar os produtos da multinacional americana em Santa Catarina. 

Dell: suporte multimarca no Brasil

A Dell anunciou nesta terça-feira, 10, o início da prestação de serviços de suporte multi vendedor no Brasil.

IlhaService: 1º tablet com Android 4.0?

A catarinense IlhaService lançará, até o final de março, o seu tablet próprio, com o Android 4.0, sistema operacional que roda em menos de 1% dos tablets com a plataforma do Google.

Ele pode ser o primeiro modelo feito no Brasil com essa versão.

Fabricado em São José, na região metropolitana de Florianópolis, o modelo chegará ao mercado custando entre R$ 799 e R$ 999, e será vendido em grandes varejistas, como a rede Carrefour, e em lojas da empresa.

BM: R$ 619 mil com Lenovo

A Brigada Militar comprou 332 desktops Lenovo pelo valor total de  R$ 619 mil, cerca de R$ 1,8 mil por unidade.

Acer processa ex-CEO que foi para Lenovo

A Acer, fabricante taiwanesa de computadores, abriu um processo contra o ex-CEO da companhia, Gianfranco Lanci, alegando quebra de cláusula de não-competição, depois que o executivo aceitou o cargo de presidente da concorrente Lenovo, para a região que engloba a Europa, Oriente Médio e África (EMEA).

Lucro da Lenovo sobe 55% e vai a US$ 193 mi

A Lenovo anunciou os resultados para seu terceiro trimestre fiscal, encerrado em 31 de dezembro de 2011.

PACOTÃO
HP pode casar PCs e impressoras

A presidente-executiva da HP, Meg Whitman, planeja agitar as coisas na empresa.

De acordo com informações da agência Reuters, a CEO quer combinar as divisões de impressão e de computadores pessoais da companhia, numa grande reformulação interna destinada a estimular as vendas combinadas de hardware.

AGORA VAI?
Lenovo quer a CCE

A Lenovo está em negociações avançadas para comprar a brasileira CCE.

É o que garante o blog Faria Lima da Exame.com, segundo o qual o negócio está avaliado em cerca de R$ 1 bilhão.

Um dos fatores que podem fazer a marca controlada pela Digibrás atrativa para os chineses são os contratos com a administração pública.