Tamanho da fonte: -A+A

A receita mundial com semicondutores deverá chegar a US$ 309 bilhões em 2012, segundo o instituto Gartner, com avanço de 2,2% sobre o valor de 2011.

O avanço, tímido frente a alta de 4,6% em 2011 e de 35,1% em 2010, se deve às incertezas econômicas, segundo o pesquisador Bryan Lewis.

A produção do PC deverá crescer 5% em 2012, metade do previsto anteriormente pelo instituto.

Outras revisões afetaram o setor de mobilidade, que subiu de 7% para 7,5%. Espera-se que os tablets cheguem a 107 milhões de unidades – alta de 63% sobre o ano anterior – e também uma redução no novo boletim, que previa 110 milhões de tablets produzidos.

Além disso, o mercado de DRAM deve cair 26% em 2011, com alta de 3% em 2012 e o NAND flash deve crescer 16,6% no próximo ano.

Semicondutores gaúchos
O Rio Grande do Sul tem dois empreendimentos na área de semicondutores.

Um deles é fábrica estatal Ceitec, ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, que atualmente trabalha projetando chips para produção terceirizada, com previsão de início da fabricação própria a partir de 2012, segundo o atual titular da pasta a qual a empresa, instalada em Porto Alegre, está ligada, Aloizio Mercadante.

Em São Leopoldo fica a HT Micron, joint venture com participação da coreana Hanna Micron e do fundo brasileiro Parit, controlador da Altus e da Teikon.

Com investimento de mais de US$ 200 milhões, a empresa concluirá as obras na fábrica até o segundo semestre de 2012, sendo a segunda maior instalação de encapsulamento e testes de chips da América Latina, só atrás de uma planta mantida pela Intel na Costa Rica.

As projeções da empresa são de faturar US$ 300 milhões até 2012 e US$ 1 bilhão até 2015, de olho no déficit da balança comercial de semicondutores, que hoje é de US$ 17 bilhões.