Marcos Wrobel

Tamanho da fonte: -A+A

De olho na Copa de 2014 e nas Olimpíadas, a fabricante de equipamentos para comunicação sem fio e broadcast Radio Frequency Systems (RFS) criou dois novos cargos de diretoria envolvendo Brasil e América Latina.

A intenção é expandir as operações entre segmentos estratégicos de infraestrutura, que têm expectativa de aumento na demanda com esses dois eventos.

Agora, Marcos Wrobel e Renato França, ambos empregados da RFS desde 2006, assumem as áreas de telecomunicações no Brasil e na América Latina, respectivamente.

Wrobel terá a missão de consolidar a RFS como parceira tecnológica em infraestrutura de redes, tendo em vista os grandes investimentos que o país receberá para suportar a Copa  e as Olimpíadas.

Operadoras nacionais e OEMs estão no foco.

“Embora a RFS já tenha uma marca forte no mercado brasileiro, agora temos que desenvolver ações para reforçar a marca de modo que a RFS se confirme como parceira estratégica”, ressalta.

O executivo é formado em engenharia eletrônica pela Universidade Federal do Paraná. Passou por especializações técnicas em telecomunicações em Lyon, na França, e lá começou sua carreira profissional, na Alcatel, em 2000.

Passou, entre outras empresas, pela Siemens do Brasil, antes de ntrar na RFS como gerente de produtos, em julho de 2006.

Já França tem como meta principal alavancar os negócios nos países andinos e no Mercosul.

“Estamos trabalhando uma estratégia que envolve nova estrutura comercial e de suporte. O objetivo é desenvolver os negócios na região de forma plena, estando mais próximos aos nossos clientes”, destaca o diretor.

Formado em engenharia elétrica, o executivo também será responsável pelos canais de distribuição e vendas em setores estratégicos no Brasil, como broadcast, oil&gas e utilities, dentre outros.

A RFS está há mais de 30 anos no Brasil, onde possui uma de suas 10 unidades fabris.