Tamanho da fonte: -A+A

O caos nos aeroportos da Europa, em razão das cinzas do vulcão islandês provocou o aumento instantâneo do uso das tecnologias de telepresença e videoconferência, segundo dados da Polycom, fornecedora de soluções de telepresença, vídeo e voz.

A Regus, por exemplo, cliente da Polycom que opera uma rede global de videoconferência com 2,5 mil salas, e conta com uma lista em expansão de suítes de telepresença imersiva, observou uma elevação recente de 108% no Reino Unido e 18% em toda a Europa.

As instalações da Regus em Aberdeen, Manchester, Edinburgh, Gatwick e Heathrow receberam a maior demanda enquanto viajantes retidos procuravam métodos para manter a normalidade empresarial.

“Muitas organizações ainda não contam com um plano de continuidade empresarial em épocas em que a comunicação se torna mais desafiante”, analisa Mike Swade, vice-presidente da Polycom para a EMEA.

De acordo com a empresa, as companhias que utilizam a comunicação visual estão mais bem preparadas para lidar com crises internacionais como a atual enfrentada na europa, sendo que as vantagens do retorno sobre o investimento são imediatas.

“O vulcão e outros incidentes recentes como o H1N1 têm sido um alerta para muitas organizações sobre o potencial impacto empresarial que influências externas podem causar”, alerta Swade.