Tamanho da fonte: -A+A

A NVIDIA anuncia o lançamento de um processador gráfico capaz de acelerar aplicativos em até 10 vezes mais em comparação ao uso de apenas uma CPU.

Chamado de Tesla M2090, o componente é voltado para computação de alta performance (High Performance Computing).

Equipada com 512 núcleos de processamento paralelo CUDA, a GPU é capaz de processar 1.3 trilhões de operações aritméticas por segundo (1.3 teraflops).

Em recentes testes realizados, a GPU Tesla M2090 alcançou desempenho recorde em uma métrica essencial na área de computação científica.

Na versão mais recente do AMBER 11, um dos aplicativos mais utilizados para simulação de comportamentos de biomoléculas, quatro GPUs Tesla M2090 combinadas com quatro CPUs forneceram performance de 69 nanossegundos (ns) de simulação por dia.

O desempenho mais rápido do AMBER registrado anteriormente em um supercomputador apenas com CPU era de 46 ns/dia.

“Esse é o melhor resultado até o momento. Os estudantes vão obter resultados tão ou mais impressionantes do que os alcançados em supercomputadores”, explica Ross Walker, professor do Centro de Computação de San Diego e colaborador de desenvolvimento para o código AMBER.

A GPU Tesla M2090 estará disponível em servidores como o novo HP ProLiant SL390 G7 4U.

Como parte do Sistema SL6500 das soluções de servidores da HP, otimizada para expansão e segmentos de mercado de computação de alta performance, a família SL390 foi criada especificamente para ambientes computacionais que combinem GPUs e CPUs.

O servidor SL390 G7 4U incorpora até oito GPUs Tesla M2090 em um cluster 4U de meia largura e oferece a mais alta densidade de GPU para CPU do mercado. O sistema é indicado para aplicativos que variam de química quântica e dinâmica molecular até o processamento sísmico e análise de dados.