Tamanho da fonte: -A+A

Torcedores do Internacional iniciaram uma campanha nas redes sociais para pressionar a construtora Andrade Gutierrez a assinar o contrato para a reforma do Beira Rio para a Copa do Mundo de 2014, paralisadas há 228 dias.

 
A mobilização foi iniciada através de uma nota divulgada no pelo perfil do Twitter @BoemiaColorada. 
 
"Os gaúchos querem a Copa. Os gremistas querem participar de um evento Fifa. Nós queremos ajudar", aponta o texto. “"A nação que já ergueu um estádio não pode se michar por uma caneta!".
 
A nota pede que a torcida doe canetas em um posto que será estabelecido no Lucas Bar nesta quinta-feira, 09, horas antes da partida contra os peruanos do Juan Aurich válida pela Libertadores da América.
 
O estabelecimento é um dos bares no entorno do estádio onde a torcida colorada costuma se concentrar antes dos jogos.
 
O @BoemiaColorada tem apenas 463 seguidores, mas a mensagem se espalhou pelo Twitter, onde a hashtag #AssinaAG está no momento como a mais citada nos Trending Topics do microblog.
 
“Esclarecemos que a tag #assinaAG, bem com o recolhimento das canetas, é só o começo”, aponta o perfil, sem esclarecer quais são os próximos passos. A reportagem do Baguete entrou em contato com o perfil, mas não obteve retorno.
 
Entenda o atraso
As obras de reforma do Beira Rio começaram no final de 2010 e o plano do clube era bancar o projeto com recursos próprios, oriundos da venda de camarotes no estádio.
 
Em meio à obra, depois de destruída uma oitava parte do estádio, os dirigentes do colorado mudaram de planos e decidiram fazer a reforma em parceria com uma construtora. 
 
Iniciou então um debate interno no clube sobre o contrato com a Andrade Gutierrez, que foi finalmente aprovada pelo Conselho de Administração do Inter em 15 de dezembro. 
 
O que não aconteceu até o momento é assinatura do contrato da parceria, um negócio que deve se estender por 20 anos. A AG já tem engenheiros em Porto Alegre, mas não comenta sobre o assunto até o contrato ser assinado. 
 
A última data estipulada é uma visita do ministro do Esporte Aldo Rebelo, dia 14 de fevereiro. 
 
Aparentemente, o que entrava o negócio é a dificuldade da Andrade Gutierrez em buscar investidores para bancar os R$ 320 milhões que a reforma deve custar.
 
Boatos chegaram a apontar a entrada do Banrisul no negócio, mas o banco desmentiu a hipótese, ainda que apenas por uma post no Twitter, onde tem 3 mil seguidores.
 
Copa das Confederações
O atraso na assinatura do contrato de reforma com a Andrade Gutierrez foi a razão apontada pela Fifa para a exclusão de Porto Alegre das cidades que receberão jogos da Copa das Confederações.
 
Jornais como o estado de São Paulo, no entanto, apontaram que a ausência do contrato na verdade proveu a organização mundial do futebol e a CBF para mandar um recado para o governo federal, que apoiava a candidatura gaúcha.
 
Na Arena?
Paulo Odone, presidente do Grêmio e deputado estadual do Rio Grande do Sul, articula para levar a  Copa das Confederações para a nova Arena do Grêmio. 
 
O político deu uma entrevista ao jornal Zero Hora defendendo a possibilidade, destacando que o novo estádio gremista está com as obras adiantadas e já tem mais de 50% da construção concluída. 
 
A entrega da construtora ao clube será no dia 30 de novembro e a inauguração oficial deve acontecer em dezembro.