Tamanho da fonte: -A+A

O Escritório Federal para Segurança da Informação da Alemanha, conhecido pela sigla BSI, recomendou aos funcionários do governo adotar o Chrome como navegador padrão.

A medida se deve aos recursos de atualização silenciosa, sandbox e para evitar ataques cibernéticos, segundo informa a publicação do IDG Now.

Em documento, o BSI argumenta que ao usar o Chrome junto com outras medidas de segurança, será possível reduzir os riscos de uma ofensiva bem sucedida.

Além disso, afirma que, embora outros navegadores também possuam sandbox, neles a ferramenta não foi tão bem implantada como no browser do Google.

A intervenção não é a primeira em relação aos softwares e browser. Há dois anos, a divisão de segurança na Alemanha anunciou que o Internet Explorer deveria ser abandonado pelos servidores públicos, já que uma vulnerabilidade, explorada por hackers chineses, ainda não havia sido corrigida.

Conforme o IDG Now, o Google se mostrou bastante satisfeito com a recomendação.

“Estamos honrados por ver que várias das virtudes do Chrome em segurança foram reconhecidas no documento”, afirmou Wieland Holfelder, que lidera o desenvolvimento do browser na Alemanha, via blog oficial.

Além do navegador, o BSI sugeriu a adoção do Adobe Reader X e do Secunia Personal Software Inspector (PSI).

No ano passado, o Chrome consolidou-se como o segundo navegador mais utilizado da internet, com participação de 27,27% do browser, ante uma fatia de 14,85% em dezembro de 2010.