http://www.flickr.com/photos/dilma-rousseff/5069552961/sizes/l/in/photostream/

Tamanho da fonte: -A+A

A coordenação de campanha do PT entrou em contato com o Twitter para apurar uma suposta moderação na hashtag oficial da campanha de Dilma Rousseff no microblog, a #dilma13, durante o debate presidencial da Bandeirantes neste domingo, 10.

Segundo Roberto Andrade, assessor de comunicação da coordenação de internet, o comitê aguarda o esclarecimento de algumas dúvidas enviadas à administração do site.

“O monitoramento que nós fazíamos por ferramentas nossas e do mercado apontavam uma presença muito forte da tag no Twitter, inclusive maior que outros assuntos que estavam nos TTs”, disse Andrade.

O próprio coordenador de internet da campanha, o gaúcho Marcelo Branco, prometeu em dois posts na rede de microblog nesta segunda-feira, 11, pedir explicações ao Twitter, em resposta a queixa de militantes petistas.

“Todos os sites que medem as tendências apontavam que DilmaBR e Dilma13 estava no topo, MENOS O PRÓPRIO TWITTER!”, postou o usuário @RacShade.

Perguntado se haveria alguma mudança de tag na campanha, caso o #dilma13 fosse barrado por filtros anti-spam, ou se o incidente impactaria na campanha de alguma forma, o consultor não se manifestou.

“Prefiro esperar o Twitter se manifestar para vermos o que realmente aconteceu”, disse o jornalista, um dos proprietários da plataforma de e-commerce Ninui. 

Quanto ao resultado do debate em si, Andrade exibiu menos ponderação em comentários em seu perfil pessoal no Twitter: "#Dilma13 deu uma surra em #Serra no #debateband, no mais, Serra vai dormir na sala, não defendeu sequer a sua mulher, que falou m...", fulminou.

O Twitter não possui um escritório no Brasil, o que pode dificultar os contatos.

Percentual garantiria TT
Levantamento feito pelo Baguete Diário comprova a tese dos petistas sobre um bloqueio ao hashtag #dilma13 nos TTs.

Segundo o site Trendstic, que mede a popularidade de assuntos no Twitter pelo percentual de mensagens com o termo, a palavra "Dilma" esteve nos TTs por cerca de nove horas no domingo, sendo encontrada em 2,46% dos posts no horário do debate.

O site não revela quanto por cento é necessário para emplacar um termo entre os assuntos mais debatidos do microblog. Numa comparação com os TTs da manhã desta segunda-feira, 11, no entanto, vê-se que ela deveria estar na lista.

“Joss Stone”, primeira colocada nos tópicos emergentes do Brasil nesta segunda, aparecia em  0,12% dos tweets. A margem seria suficiente não só para a palavra “dilma”, mas como para o “dilma13” estarem nos TTs, já que a presença da tag era de 0,32% dos posts no horário de pico, às 23h de domingo, 10.

Além disso, o fato de termos menos favoráveis à candidata como “tergiversar” (0,21%) e “dilmanão” (0,28%) terem emplacado presença nos TTs ao longo do debate podem ter colaborado para a indignação da militância.

“Eu vi isso... rola algum filtro, é isso? Tão tucanando até os TT´s? Pqp!”, publicou o usuário @giliardtenorio.

O primeiro debate do segundo turno foi marcado por um esforço especial da militância online de Dilma. A coordenação da campanha chegou a postar no YouTube um vídeo explicando como tuitar para emplacar o termo "#dilma13" nos TTs.

Em compensação, a expressão “serramilcaras”, usada durante o debate repetidas vezes por Dilma, também foi bem ranqueada no Twitter durante o debate.

Suspeita de alterações nos TTs é recorrente
Não é a primeira vez que a moderação dos trending topics levanta suspeitas. Em junho do ano passado o site Read Writte Web suspeitou do desaparecimento de alguns termos considerados obscenos. Em questão de minutos, relata o site, as palavras desapareceram da lista oficial, mas continuaram em sites de terceiros que também monitoram o microblog.

Mais recentemente, no mês de maio, o ataque a uma frota de ajuda humanitária em Gaza colocou a tag “flotilla”, pequena frota, nos TTs. Em pouco tempo a expressão foi retirada do site.

Segundo o site TechCrunch, a remoção pode ter se dado pelo filtro contra spams do próprio Twitter, já que após a remoção, os internautas passaram a identificar os posts sobre o assunto com outros termos, como “gazaflotilla”, que recuperou a posição nos TTs.