Tamanho da fonte: -A+A

Não há prazo para a volta da publicidade no Orkut nem para a implantação de publicidade AdSense do Google em mídia offline no Brasil.

As revelações – ou não revelações – foram feitas por Marcos Bebiano, líder de Relacionamento para o Mercado Publicitário da multinacional americana no Brasil, que esteve em Porto Alegre palestrando no Tá na Mesa da Federasul nesta quarta-feira, 12.

Bebiano minimizou os problemas gerados pela inclusão de anúncios no site de relacionamento, que acabaram levando à retirada de toda forma de publicidade do Orkut. A decisão foi motivada por denúncia feita pela ONG SaferNet sobre a veiculação de propagandas em comunidades tidas como impróprias.

“Era uma fase de testes com 1% dos perfis”, comentou o executivo. Segundo ele, o modelo de negócios do Orkut ainda será baseado em propaganda contextualizada, mas com algumas modificações não reveladas. Não está prevista a divisão de receitas com os donos de comunidades", revelou Bebiano.

O responsável pela publicidade do Google no país também não deu prazo para a chegada dos serviços de publicidade de lucro compartilhado AdSense para veículos offline como jornais e rádios locais, nos moldes já aplicados nos Estados Unidos.

Facebook
Bebiano afirmou não temer a perda de audiência de brasileiros no Orkut – hoje a comunidade verde-amarela domina o site de relacionamento - para o Facebook, estrela ascendente do segmento no mercado americano. “É natural a entrada de novos players. Nós estamos evoluindo o Orkut também”, resumiu.