Dados da consultoria e-bit indicam que o comércio eletrônico brasileiro teve aumento de 24% no primeiro semestre de 2011, frente ao mesmo período no ano anterior, chegando a R$ 8,4 bilhões.

Apesar da alta, o número representa uma desaceleração no crescimento, quando comparado aos 40% de avanço nos primeiros seis meses do ano passado, frente ao período igual em 2009.

“O ano passado foi ano de Copa do Mundo, quando as pessoas substituíram suas TVs por modelos de tela fina”, justifica o diretor de Marketing da e-bit, Alexandre Umberti.

A queda também afetou o tíquete médio, que no primeiro semestre foi de R$ 355, em média – no ano passado, o valor ficou entre R$ 370 e R$ 380.

Cerca de 25 milhões de pedidos foram feitos no período, parte deles trazidos pela entrada do público de baixa renda – dos novos entrantes no comércio eletrônico brasileiro, 61% possuem uma renda familiar de até 3 mil reais.

O dia dos Namorados e o dia das Mães contribuíram com R$ 1,4 bilhão do faturamento.

Pelos dados da e-bit, o e-commerce deve chegar a R$ 18,7 bilhões de faturamento para 2011. O crescimento deverá ser de 26% em relação ao ano passado, quando faturou R$ 14 bilhões.