Pesquisa divulgada nesta terça-feira, 03, mostra que 20% das companhias associadas à Amcham - Câmara Americana de Comércio gastam pelo menos R$ 300 mil por ano com rotinas burocráticas no Brasil, considerando despesas com funcionários, profissionais terceirizados e emissão de documentos.

O levantamento, realizado pelo Ibope em 211 empresas das cidades de São Paulo, Campinas (SP), Recife, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Brasília, Ribeirão Preto, Uberlândia e Goiânia, apontou que para 36% dos entrevistados os lucros seriam superior a pelo menos 6% caso todas as rotinas exigidas pelo poder público fossem removidas.

Como alternativa para reduzir os processos burocráticos, 89% das empresas entrevistadas investem em tecnologia, segundo informações do Portal Exame.

Realizado entre 28 de abril e 17 de maio, o estudo revela que na opinião dos empresários o governo poderia aumentar a eficiência da gestão, o fim das redundâncias, a penalização rápida de infratores - para evitar a corrupção - e a unificação de políticas definidas pela União e adotadas por estados e municípios.

Entre os entrevistados, 78% apontam entre os entraves burocráticos o tempo exigido para cumprimento de tais obrigações junto ao poder público. Já para 77% das empresas outra dificuldade é a necessidade de emissão de diferentes certidões e documentos.

Para 63%, os custos causados pela burocracia também são obstáculos. Na avaliação de 91% dos entrevistados, existem conflitos burocráticos que atrapalham o ambiente de negócios.

Segundo a pesquisa, 67% apontaram que as dificuldades burocráticas que prejudicam os negócios estão vinculados, na maior parte das vezes, a normas e exigências federais. Outros 20% estão ligados aos Estados e 7% às prefeituras. Já para 77% das empresas ouvidas, por outro lado, o excesso de procedimentos burocráticos poderia ser reduzido por meio de unificação de ações entre as esferas federal, estadual e municipal.

Na opinião de 58% das empresas, são excessivos o controle e a fiscalização do governo sobre as empresas em relação às exigências burocráticas, enquanto 21% acham que as solicitações oficiais são insuficientes.

Por outro lado, entre quem acredita que o controle do governo é exagerado, 77% afirmam que as regras são usadas como instrumento de poder. De acordo com 35% das empresas entrevistadas, pelo menos 26% dos funcionários lidam diariamente com rotinas burocráticas.

Os dados da pesquisa foram tema de matéria no Portal Exame, que pode ser conferida na íntegra no link relacionado abaixo.