Tamanho da fonte: -A+A

Ao longo de 2011, as passagens aéreas ficaram 53% mais caras no Brasil.

O aumento foi apontado pelo IBGE, e atribuído pelo instituto à alta nos custo das empresas aéreas e a forte demanda por voos.

Segundo os técnicos da entidade de pesquisa, essa foi a maior aceleração entre os itens que compõem o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que nesse período foi de 6,50%.

Em 2010, as passagens aéreas subiram 3,17%.

Entre as elevações nos custos das companhias aéreas em 2011, o IBGE destaca o encarecimento entre 35% e 40% do querosene de aviação no ano passado.

Como o IPCA abrange as famílias com rendimentos mensais compreendidos entre um e 40 salários mínimos, o IBGE apura apenas os preços das passagens de viagens de lazer. A alta das passagens aéreas em 2011 influenciou em 0,19 ponto percentual o índice, diz o jornal Folha de S. Paulo.

Enquanto as passagens aéreas subiram fortemente, o grupo transporte em 2011 avançou 6,05%, após alta de 2,41% em 2010.