Tamanho da fonte: -A+A

O “passe” de Stephen Elop custou à fabricante finlandesa de celulares Nokia mais de US$ 6 milhões.

A informação consta em documento divulgado pela companhia nessa sexta-feira, 11.

Segundo a agência Reuters, Elop, que trabalhava como presidente da divisão de negócios da Microsoft até setembro do ano passado, já ganhou US$ 3,18 milhões em outubro de 2010 e deverá receber mais US$ 3 milhões em outubro deste ano, como compensação pela saída da MS.

O salário bruto total de Elop é de € 1,05 milhão (US$ 1,45 milhão), pouco abaixo de seu predecessor Olli-Pekka Kallasvuo, cujo salário-base era de cerca de € 1,18 milhão (US$ 1,63 milhão), em 2009.

Os detalhes constam em documento encaminhado ao órgão regulador dos mercados norte-americanos Scurities and Exchange Commission (SEC).

No início do ano, Elop dividiu o palco com Steve Ballmer, CEO da Microsoft, para anunciar uma nova parceria entre as duas empresas na qual a Nokia embarcará o Windows Mobile nos seus celulares inteligentes.

A medida causou polêmica pois envolve a descontinuação da plataforma MeeGo, que era desenvolvida pela Nokia em parceria com outras empresas, e também o enfraquecimento do Symbiam.

Quando anunciada, a medida foi tratada pelos CEOs das empresas como uma forma de competir no mercado mobile, que tem hoje players emergentes a Apple, com o iPhone, e o Google, com o Android.

Desde o lançamento do iPHone, a Nokia tem perdido posições no ranking de mercado, apesar de seguir na liderança entre os fabricantes (de hardware) e desenvolvedores (de software) de celulares.