Tamanho da fonte: -A+A

Stefano J. C. da Silveira, economista e professor do Departamento de Economia do Unilasalle, publica artigo no Baguete nesta sexta-feira, 11.

O texto questiona a necessidade do aumento, anunciado pelo Copom, de 0,75% da taxa Selic, o que representa uma valor de 10,25% ao ano e coloca o Brasil no posto de nação com a maior taxa de juros real do mundo, na ordem de 5,2% ao ano.

"Ainda que o governo alegue um certo temor do IPCA não fechar o ano no centro da meta, de 4,5% – segundo o último relatório focus do Banco Central, o IPCA deve encerrar 2010 em 5,64%, ainda dentro da previsão inicial de 4,5%, dois pontos percentuais para mais, dois para menos – isso não caracteriza um 'estouro da manada' ou uma corrida desenfreada às compras. Poderia a equipe econômica aguardar um pouco mais, na expectativa de analisar se o crescimento inflacionário não é um reflexo de um momento pós-crise", analisa Silveira.

O artigo está disponível na íntegra no link relacionado abaixo.