Tamanho da fonte: -A+A

O projeto da Região de Potencial Tecnológico (Repot), já chamada de Lomba do Silício, foi aprovado.

Encaminhado ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental no início do ano, o Repot delimita o território onde serão incentivados empreendimentos da área de tecnologia em Porto Alegre.

A ideia é estabelecer regras mais flexíveis para empresas de tecnologia se instalarem que se inicia no Ceitec – na Lomba do Pinheiro – até o centro Histórico de Porto Alegre.

No documento, a proposta de lei prevê que o empreendimento beneficiado deverá manter a atividade ligada à tecnologia por, pelo menos, 10 anos.

Também exige que as instalações da empresa sigam princípios de construções com sustentabilidade ambiental, como, uso eficiente de energia, reutilização e redução de resíduos, uso racional e reaproveitamento da água e de materiais certificados e renováveis, entre outros.

Segundo o secretário do Planejamento do município, Márcio Bins Ely, ainda não estão previstos outros incentivos, como os fiscais, por exemplo.

Empresas e entidades que já estão instaladas com projetos enquadrados na proposta – como o próprio Ceitec, Tecnopuc e UFRGS – poderiam se beneficiar para novas construções, tão logo o projeto seja sancionado.

Agora, o próximo passo é encaminhar a proposta à Câmara, para avaliação dos legislativo municipal.

O anteprojeto foi elaborado pela Prefeitura, com a coordenação da Secretaria do Planejamento Municipal (SPM) e participação do Inovapoa, Procempa e Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia (Comcet).

Abaixo, confira um mapa com a Região de Potencial Tecnológico.
View Repot - Região de Potencial Tecnológico in a larger map