Tamanho da fonte: -A+A

A Petrobras comprou os 30% de participação da hispano-argentina Repsol na Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), de Canoas.

A aquisição, feita por meio da controlada Downstream Participações, teve investimento de US$ 850 milhões, sendo US$ 350 milhões referentes à participação acionária e US$ 500 milhões em dívida, já consolidada na Petrobras.

A Repsol mantinha participação no complexo gaúcho desde 2001, quando em uma troca de ativos com a Petrobras a Refap se tornou uma SA entre a Petrobrás e o grupo estrangeiro.

Com a aquisição, anunciada pela diretoria da Petrobras na noite da segunda-feira, 13, a petrolífera brasileira também cedeu à Repsol parcelas de participação em concessões para exploração de petróleo e absorveu uma rede de distribuição de combustíveis na Argentina.

A transação abre as portas para um investimento de R$ 1,6 bilhão na unidade de hidrotratamento de Canoas, trabalhado por uma frente parlamentar liderada pelo deputado Raul Pont junto à Petrobras.

Um dos indícios é que, na segunda-feira, a diretoria da petrolífera fez o anúncio da tomada de controle da Refap ao parlamentar gaúcho.

A Refap é a quinta maior refinaria do país. Seu processo de ampliação, iniciado em 2001, foi concluído em 2006 e resultou no aumento da capacidade de refino de 130 mil para 190 mil barris de petróleo por dia, além de aumentar a complexidade operacional para o processamento de petróleos mais pesados.

A produção atual consiste, principalmente, em óleo diesel e gasolina, além de nafta petroquímica, propeno, GLP, querosene de aviação, óleo combustível e asfalto.
 
"Com a reintegração da refinaria aos negócios da companhia, a Petrobras busca ganhos de logística e otimização do processamento de petróleo nacional e produção de derivados, além da execução dos investimentos programados para produção de diesel com baixo teor de enxofre, em atendimento à legislação vigente", afirma o comunicado oficial da Petrobras enviado nesta terça, 14, à imprensa.

TI
Os investimentos na Refap também seguem fortes na área de TI.

Conforme declarou durante um Meeting de TI da Federasul, em novembro, o gerente de TI da refinaria Alberto Pasqualini, José Henrique Schwengber, hoje o aporte destinado a este setor fica em torno de 0,2% do orçamento geral.

No ano que vem, a meta é destinar, da verba total para a área, 79% em melhorias e continuidade operacional (softwares de engenharia, equipamentos em geral) e 21% em soluções e processos que permitam atender a regulamentações como a SOX e normas nacionais, especialmente as focadas no meio-ambiente.

"Isso envolve projetos de Green IT, virtualização de servidores e estações de trabalho, softwares para controle e gerenciamento ambiental, entre outros", destaca Schwengber.

Ao todo, a equipe de TI da Refap conta com 16 colaboradores próprios, todos alocados em Canoas, auxiliados por cerca de 60 terceirizados.

O time interno atua em controle, serviços, sistemas e infraestrutura, além de suporte para 1345 usuários com chave de rede.

No geral, a refinaria soma 826 funcionários próprios e 540 empregados a serviços contratados.