Tamanho da fonte: -A+A

O investimento de € 350 milhões que a montadora alemã BMW previa para construir uma fábrica em Araquati, no interior de Santa Catarina, pode ser transferido para o México, junto com a unidade e suas cinco linhas de produção, devido ao aumento dos impostos de importação de veículos.

De acordo com o portal Amanhã, o governo de Santa Catarina e a prefeitura de Araquari garantem que fizeram sua parte. A equipe estadual já tem um pacote de incentivos fiscais preparado. E a Prefeitura assumiu o compromisso de fazer o licenciamento das obras de terraplanagem da área onde a montadora cogita se instalar.

Segundo o Ministério da Fazenda, o decreto sobre o IPI está pronto. No entanto, ainda não foi oficialmente divulgado.

Em vigor, a medida poderia significar prejuízo para os alemães – mesmo montando uma fábrica no Brasil, eles pretendiam trazer a maior parte das peças do exterior. A intenção do Governo Federal é exigir que pelo menos 65% das peças sejam fabricadas no Mercosul.

Associação Brasileira de Importadores de Veículos Automotores (Abeiva) não acredita que haja condições de uma nova fábrica utilizar essa quantidade de produtos da região. Com média de nacionalização de 15% no primeiro ano, o preço dos carros produzidos no Brasil seria alto demais para competir no mercado.

Para tanto, a solução estaria no diálogo entre a direção da montadora e o Governo Federal – que já conversaram sobre o assunto.

Conforme a Amanhã, a proposta de flexibilização incluía um cronograma de investimentos que, uma vez cumprido pela montadora, a isentaria do pagamento de IPI. Entretanto, o governo não se pronunciou mais sobre o caso, sugerindo que será difícil ceder.

A BMW garante que ainda não há uma definição, mas afirma que, se ficar muito caro, não haverá motivos para se instalar no país.