A Radiopharmacus, empresa insumos para medicina nuclear instalada no Tecnopuc, em Porto Alegre, foi a primeira empresa gaúcha a receber um aporte do Fundo Criatec.

 
Criado em 2007 pelo BNDES, Banco do Nordeste e outros investidores, o fundo vai aportar R$ 1,5 milhão na operação, em três parcelas. 
 
Os recursos do Fundo serão destinados ao desenvolvimento de novos fármacos e à quadruplicação da produção da empresa, que deve chegar a 32 mil frascos por mês.
 
A quantidade permitirá à Radiopharmacus competir no mercado nacional e latino-americano. A medicina nuclear envolve o uso de substâncias radioativas para tratamentos médicos, como no caso da radioterapia, ou como reagente no diagnóstico por imagem, no caso das  tomografias computadorizadas.
 
Os recursos também serão destinados a projetos em parceria com outra empresa instalada no Tecnopuc, a QuatroG, que será produtora de princípios ativos para os produtos. 
 
Radiopharmacus é a única brasileira liberada pela Anvisa para produzir e comercializar esses produtos no Brasil.