Tamanho da fonte: -A+A

Um documento produzido pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) revelou que a indústria brasileira está perdendo espaço na economia do país, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Sob o título “Desindustrialização, reprimarização e contas externas”, o estudo feito pelos técnicos do MDIC aponta que a fatia da indústria no Produto Interno Bruto (PIB) caiu de 30,1% em 2004 para 25,4% em 2009. O argumento é que, apesar do crescimento recente, a indústria avançou menos que os demais setores. 

Através do estudo, é possível avaliar que existe uma “correlação estreita entre as oscilações do câmbio e as exportações de manufaturados”. Desde 2007, a fatia dos manufaturados nas exportações vem recuando e atingiu 40,5% no primeiro semestre - mesmo patamar de 1978. 

Ao contrário das importações, que avançam rapidamente, as exportações crescem, de forma geral, em um ritmo mais lento que a economia. A participação das importações na produção doméstica aumentou de 11,3%, em 2003, para 19,6%, no primeiro trimestre deste ano.

“Não há como deixar de associar a expansão das importações à forte apreciação do real. Os dados indicam que a produção doméstica não acompanhou a demanda por produtos industriais, que foi suprida pelas importações”, informou o documento.

De encontro ao discurso normalmente adotado pelo governo, de que o aumento das importações é benéfico para o país, os técnicos que elaboraram o texto afirmaram que a aquisição de máquinas mais avançadas no exterior trouxe benefícios para a indústria, mas boa parte das importações foi incentivada pelo preço mais baixo.