O escritório do Procon em Porto Alegre está desconectado da rede nacional há um mês e uma semana.

De acordo com informações da rádio Guaíba, o atendimento aos cerca de 1,9 mil consumidores que registram queixas todo mês está sendo feito de forma manual.
 
Entrevistado pela Guaíba, o diretor-executivo do Procon Porto Alegre, Omar Ferri Júnior, atribuiu o problema a hackers que teriam invadido o sistema, no qual são feitos os cadastros das reclamações.
 
Ferri não disse à Guaíba se houve vazamento de informações.
 
Técnicos da Procempa estão trabalhando na Procon para resolver a situação.