Tamanho da fonte: -A+A

Guilherme Costa acaba de assumir o cargo de Coordenador de TI na GetNet Tecnologia, empresa especializada na prestação de serviços em tecnologia para meios de pagamento com sede em Campo Bom.

 
O profissional vem do Banco Matone, onde atuou como responsável por Governança e Planejamento nos últimos três anos.
 
Antes, Costa foi gerente de Infraestrutura na Doux Frangosul de 2001 a 2006 e gerente de suporte na Claro de 1998 a 2001.
 
Costa é bacharel em Administração de Empresas pela PUC-RS e tem MBA em Gestão Estratégica da TI pela Fundação Getulio Vargas.
 
Saídas no Matone
Costa não é o primeiro alto cargo a deixar a TI do Matone recentemente.
 
Guilherme Lessa, deixa o cargo de gerente de TI do Banco Matone em outubro, após mais de 10 anos atuando na organização.
 
As saídas parecem estar relacionadas com o processo de tomada de controle do banco gaúcho pelo grupo JBS, dono de um banco, uma empresa de exploração florestal e o frigorífico, com faturamento de R$ 55,5 bilhões em 2010.
 
As negociações começaram em março. Na terça-feira, 13, o JBS anunciou que assumiria 100% do Banco Matone através de um aporte de R$ 1,85 bilhão. 
 
A TI do Matone, que tem 45 funcionários atendendo mil colaboradores em 85 lojas de serviços financeiros e das sedes de negócios no Rio de Janeiro e em São Paulo, passou para o comando de Jenner Lopes, CIO há 22 anos à frente da TI do JBS.
 
E saídas na GetNet
A TI da GetNet também teve sua dose de turbulência em 2011.
 
Marco Spadoni, gerente de TI e produção na GetNet Tecnologia, trocou o cargo pela  coordenação de infraestrutura de TI da Lojas Renner em fevereiro.
 
Semanas antes, Daniel Luis Costa Scherer deixou o cargo de diretor da Unidade de Sistemas da empresa, após cinco anos e meio na casa. Em abril, o executivo assumiu a diretoria de Informática na Prefeitura de Canoas.
 
A empresa
Parte do grupo de empresas do misterioso empresário gaúcho Ernesto Corrêa e Silva, avesso a publicidade e atualmente também dono da Good Card, da rede de hotéis Intercity, do banco Topázio e outros empreendimentos, a Getnet está em alta, embalada pela alta do número de cartões de crédito no país.
 
O país fechou junho com um total de 657,2 milhões de cartões emitidos, aumento de 10% ante o mesmo mês do ano passado. A movimentação chegou a  R$ 159 bilhões no segundo trimestre, alta de 26%, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). 
 
Em janeiro de 2010, a GetNet assinou um acordo com o Santander para credenciamento, captura e processamento de transações via cartões, o que colocou a empresa na disputa com gigantes como  Redecard e Cielo (antiga VisaNet). A empresa hoje processa 20 bandeiras diferentes.