Tamanho da fonte: -A+A

Mike Lazaridis e Jim Balsillie, copresidentes-executivos da RIM, renunciaram seus cargos, entregando o posto máximo a um executivo de dentro da companhia fabricante do BlackBerry.

Eles atuaram juntos durante 20 anos na empresa.

Thorsten Heins, um ex-executivo da Siemens que subiu dentro da cadeia de gerência da RIM desde que entrou na empresa em 2007, assumiu como presidente-executivo no sábado, 21.

A saída de Lazaridis e Balsillie segue pressão de investidores, e do mercado, já que a RIM, desde o lançamento do iPhone, tem perdido share e enfrentado dificuldades para lançar aparelhos que a coloquem de volta à frente da concorrência, mesmo no segmento corporativo.

Com o preço da ação da RIM caindo aos menores níveis em oito anos, uma onda de rumores nos últimos meses passou a envolver a empresa sobre uma eventual venda.

Investidores apontavam Lazaridis e Balsillie como um obstáculo à venda.

Sob a bandeira de um “transformador” que reformasse a empresa, os acionistas teriam conseguido derrubar a dupla, e aberto o caminho para a transformação virar uma venda.

O lucro trimestral do período encerrado em 26 de novembro apresentou uma queda de 27%. Além disso, calcula-se que as vendas do BlackBerry, carro-chefe da companhia, fiquem entre 11 milhões e 12 milhões no próximo final de ano.

Trata-se, diz a agência Reuters, do primeiro declínio em anos das comercializações do período.