Tamanho da fonte: -A+A

A Cisco pode ter doado R$ 500 mil ao PT, indica reportagem da Folha de São Paulo desta quarta-feira, 24. A informação consta do relatório preparado pela Polícia Federal sobre a Operação Persona ao qual o jornal paulista teve acesso.

As referências à palavra "doação", conforme documento da PF, partem do fundador da Cisco do Brasil, Carlos Carnevali, e de executivos da Mude, apontada como a importadora oculta da Cisco - Francisco Gandin, José Roberto Pernomian e Fernando Grecco.

Os interlocutores sugerem que o dinheiro seria uma contrapartida para algum tipo de benefício numa licitação da Caixa Econômica Federal, revela a Folha. Não há referências no documento ao nome do suposto contato do PT com os executivos da Cisco e da Mude.

Segundo as apurações dos jornalistas da Folha, a PF ainda não abriu uma investigação para apurar o caso, que será alvo da segunda etapa do trabalho dos investigadores. A PF não se pronuncia oficialmente, pois o tema ainda está sob segredo de Justiça.

O presidente do PT, Ricardo Berzoini, informou por meio da assessoria de imprensa que o partido “desconhece o fato e nunca autorizou ninguém a fazer qualquer interferência em assunto de interesse público”. A Cisco também informou que não acredita que tenha existido qualquer pagamento irregular, mas não disse à Folha se mantém contrato com a Caixa nem se está disputando alguma licitação pública.

Procurada pela reportagem da Folha desde a sexta-feira, 19, a assessoria de imprensa da Caixa não informou se a Cisco já venceu alguma licitação da estatal nem quais foram as empresas de informática contratadas nos últimos cinco anos.

Quem é quem na caixa

A atual presidente da Caixa é Maria Fernanda Ramos Coelho, filiada ao PT de Pernambuco, e a vice-presidente de Tecnologia da Informação é Clarice Coppetti, que tem longa trajetória no PT gaúcho.

A reportagem completa da Folha de São Paulo está disponível para assinantes da Folha e do UOL pelo link relacionado abaixo.