Pesquisa:seniors miram novo emprego em 2012

26/12/2011 14:32

Uma pesquisa do Grupo Michael Page revelou as expectativas de profissionais em início de carreira e de média gerência para 2012.

O estudo, realizado em dezembro deste ano com cerca de 500 pessoas, dividiu dois grupos: “Michael Page”, com executivos de média e alta gerência na faixa de 30 a 40 anos; e “Page Personnel”, com jovens profissionais entre 23 e 29 anos.

Tamanho da fonte: -A+A

Uma pesquisa do Grupo Michael Page revelou as expectativas de profissionais em início de carreira e de média gerência para 2012.

O estudo, realizado em dezembro deste ano com cerca de 500 pessoas, dividiu dois grupos: “Michael Page”, com executivos de média e alta gerência na faixa de 30 a 40 anos; e “Page Personnel”, com jovens profissionais entre 23 e 29 anos.

Do grupo Michael Page, 60% dos gestores entrevistados pretendem buscar novas oportunidades de emprego, seja no seu próprio setor ou em diferentes setores da indústria, no ano que vem.

Já no Page Personnel, 48% dos respondentes pretendem buscar novas oportunidades de emprego, tanto em seu setor quanto em outros.

Para 28% dos entrevistados deste grupo, a meta é se manter na mesma função e mesma empresa para ganhar experiência.

Outros 14% farão pós-graduação, enquanto 10% pretendem movimentar-se internamente nas companhias.

No caso dos entrevistados “seniores”, a preocupação com a formação acadêmica também existe: 21,7% afirmaram que pretendem investir em aprimoramento em 2012.

“O aquecimento recente nas posições de profissionais mais jovens pode ter influenciado neste comportamento”, afirma Sergio Sabino, diretor de Marketing do Michael Page para América Latina. “O jovem profissional sabe que precisa equilibrar suas ambições com o acúmulo de experiência para crescer com consistência. É sinal de maturidade”, destaca.

Ainda conforme o executivo, a pesquisa demonstra um 2012 promissor do ponto de vista de oportunidades e contratações.

“Será um ano de maior estabilidade e mais racionalidade na hora de contratrar. Será um ano de contratações mais cirúrgicas”, diz Sabino.

Presente em 32 países e responsável pela contratação global de mais de 50 mil executivos anualmente, o Grupo Michael Page está há 12 anos no país.

O Brasil representa hoje a 3ª operação do grupo em faturamento e responde por cerca de 10% do volume global anual de contratações.
 

Veja também

Global Crossing expande conta na Michael Page
A Global Crossing anunciou a expansão do seu contrato com a Michael Page para os escritórios e as operações da empresa na Argentina e Brasil nesta terça-feira, 29.

A fornecedora de soluções globais em IP irá estender a rede privada virtual em IP (IP VPN) da Michael Page Internacional, bem como fornecer soluções de voz, de data center e serviços de link LAN-to-LAN nos dois países.
Michael Page economiza com Dimension Data
A Michael Page International, especialista em recrutamento de executivos para média e alta gerência, registrou economia em torno de 10% em seus custos mensais de telefonia após adotar uma solução IP da Dimension Data.
TI: gap de 45 mil profissionais em 2014

Levantamento da Brasscom indica a falta de 45 mil profissionais de TI no Brasil até 2014.

O apagão, que afetará as principais regiões do Brasil, se dá em função das baixas nos cursos do setor, como programação ou análise de sistemas, indica matéria da Folha de S. Paulo publicada nessa quarta-feira, 19.

De acordo com a Brasscom, dos 174.161 matriculados nas principais carreiras, 87% abandonam os cursos.

Profissionais de TI seguem em alta em 2011

O mercado de TI deve seguir aquecido em 2011 para os profissionais da área.

A previsão é da Search Consultoria em RH, especializada no recrutamento de executivos, que atribui o bom momento à economia, potencial de crescimento do segmento e aumento do nível de exigência dos clientes.

“As empresas estão reforçando seus quadros para vender mais e de forma mais inteligente e qualificada”, afirmou a sócia da consultoria Ilana Lissker, ao site Computerworld.

Brasil vai medir carência de profissionais de TI

O governo brasileiro quer medir o grau de carência de profissionais de TI no país.

Quem encarará a tarefa é o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), que deverá realizar um censo dos profissionais de tecnologia. Ainda não há previsão de quando os trabalhos serão iniciados.

A sugestão partiu do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea).

Empresas querem profissionais no exterior

Quase quatro em dez empresas (39%) planejam aumentar seu pessoal internacional nos próximos cinco anos, de acordo com o estudo "Up or out: Next moves for the modern expatriate", realizado pela Economist Intelligence Unit, que ouviu 418 executivos sênior responsáveis por escritórios internacionais.

O estudo aponta que a globalização está obrigando as empresas a rever a abordagem de onde estabelecer operações e a maneira como administram recursos humanos e imóveis.