Tamanho da fonte: -A+A

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) quer quase dobrar o gasto em pesquisa e desenvolvimento da economia brasileira, atualmente em 1,09% do PIB nacional, para 2% em 2020.

A meta supõe um crescimento anual do investimento na ordem de 10,4%, supondo que o crescimento do PIB fique estável em 5% anuais. Na projeção da entidade, o gasto privado em P&D deve ser majoritário, ficando entre 1,1 e 1,2 ponto percentual.

Para tanto, a SBPC estima que seja necessária multiplicar entre duas vezes e meia a três vezes o volume de bolsas de estudo em áreas estratégicas, de  modo a formar cerca de 150 mil doutores e 450 mil mestres nos próximos dez anos.

As metas fazem parte de um documento encaminhado aos candidatos à presidência  nesta terça-feira, 28.

O texto destaca ainda o crescimento da ciência brasileira ao longo das “últimas décadas” como produto de uma “política de estado”.

Em 1990, por exemplo, os pesquisadores brasileiros publicaram 3.640 artigos de em revistas internacionais, o equivalente a 0,62% da produção mundial. Já em 2008 foram mais de 30 mil artigos, dado que representa 2,12% do total e dexiou o Brasil em 13o lugar no ranking do setor, à frente de Rússia e Holanda.

Confira o documento na íntegra pelo link relacionado abaixo.