Teclógica quer 30% da receita com consultoria

02/03/2011 17:17

A Teclógica, empresa de soluções para gestão de processos de TI e negócios com sede em Blumenau e atuação nas regiões Sul e Sudeste, acaba de inaugurar uma nova unidade de consultoria.

A estimativa é que a nova divisão, que inicia com ofertas baseadas em SOA, BPM e mobilidade corporativa, corresponda a 30% do faturamento da companhia dentro de dois anos.

Gilmar Tamanini, o CEO da Teclógica

Tamanho da fonte: -A+A

A Teclógica, empresa de soluções para gestão de processos de TI e negócios com sede em Blumenau e atuação nas regiões Sul e Sudeste, acaba de inaugurar uma nova unidade de consultoria.

A estimativa é que a nova divisão, que inicia com ofertas baseadas em SOA, BPM e mobilidade corporativa, corresponda a 30% do faturamento da companhia dentro de dois anos.

A aposta, segundo o CEO Gilmar Tamanini, está em mercados cuja expansão já é prevista nacional e internacionalmente.

“O mercado para estes novos produtos está crescendo significativamente. Em SOA, por exemplo, a expectativa da IDC é que os investimentos realizados pelo mercado de TI cresçam 25% até 2013”, afirma o executivo.

Já sobre BPM, ele cita uma pesquisa da revista CIO/EUA segundo a qual apenas 41% dos líderes de TI entrevistados contam com ferramentas de análise e de BPM “fortemente integradas”, atualmente.

“Se bem executado, o BPM cria uma base para estratégias de implementação da arquitetura SOA”, destaca Tamanini.

Outra pesquisa, também da CIO, informa que BPM (35%) e SOA (32%) estão em segundo e terceiro lugar, respectivamente, no ranking das tecnologias mais analisadas pelos gestores de TI, atrás apenas de computação em nuvem (48%).

Na área de mobilidade corporativa, por sua vez, a companhia se baseia em dados da Federação Brasileira de Desenvolvimento Corporativo que indicam que a tecnologia é utilizada por 64% das empresas brasileiras, atualmente.

“Com este novo pacote de serviços, nos inserimos na oferta de um ciclo completo de serviços - da consultoria em gestão de negócios ao desenvolvimento de software”, finaliza Tamanini.

O portfólio da Teclógica conta com outsourcing, gerenciamento de aplicações, fábrica de software, projetos de manutenção e infraestrutura, telefonia digital, BPM, SOA, mobilidade corporativa e virtualização.

A empresa, que em 2010 cresceu cerca de 20%, é CMMi 2 e atua com profissionais distribuídos nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que atendem a clientes como Correios, Embratel, TIM, Mcdonalds, Vonpar, Souza Cruz e AES Sul.

Veja também

Grupo Teclógica: Tridmen foca em SAP

Especializada no desenvolvimento de soluções na plataforma SAP, chega ao mercado a Tridmen, empresa da Teclógica - grupo com sede em Blumenau e especializado em softwares para gestão empresarial.

Segundo Jorge Weiss, presidente da Tridmen, a empresa foi concebida diante de uma demanda que já existia entre os clientes do Grupo Teclógica.

Teclógica: a Copa no PC do seu colaborador

A Teclógica, de Blumenau, lança a TV Corporativa, ferramenta que permite que o sinal aberto de uma emissora de televisão, ou de programações específicas criadas pelas empresas, seja transmitido nos computadores da companhia.

Conforme o diretor da Teclógica, Clóvis Vasselai, a novidade é uma mão na roda em tempos de Copa do Mundo, quando surgem os inevitáveis conflitos entre liberar ou não colaboradores do expediente para assistirem aos jogos.

Teclógica conquista CMMI 2 e se prepara para 3
A Teclógica, de Blumenau, acaba de alcançar o CMMI Nível 2.

Para conquistar a certificação, homologada pelo Software Engineering Institute (SEI), a empresa especializada em soluções corporativas de TI contou com os trabalhos da Crest Consulting, em avaliação e certificação, e da Software Process, em mentoring na definição de processos.
IBM: consultoria grátis entre emergentes

Desde fevereiro, a IBM já enviou 36 executivos para passar três semanas dando consultoria em quatro cidades de países emergentes, como Rio de Janeiro e Chengdu, na China.

Segundo o jornal Valor Econômico, as consultorias gratuitas fazem parte da estratégia para impulsionar os negócios da empresa nesses mercados. Leste Europeu, África e Oriente Médio também estão na rota dos executivos da companhia.

Sem consultoria, GGD implanta Totvs/Datasul

A GGD Metals, distribuidora de aços e metais sob medida com sede em São Paulo, acaba de investir cerca de meio milhão de reais na implantação do ERP Datasul/Totvs. Detalhe: o projeto foi no estilo "feito em casa", sem contratação de consultoria.

Alliance contrata consultoria da Mondo

A Alliance, fornecedora de soluções fiscais, contratou a consultoria da catarinense Mondo Strategies, especializada em gestão integrada de software.

“Temos como clientes muitas das maiores empresas do país e investimos na melhora dos produtos e serviços. Contudo, sentimos a necessidade de fazer mais e mais rápido, e a consultoria especializada se mostrou um bom caminho”, explica Wilton Boldrini, diretor executivo da Alliance.

Andrade Soto: consultoria para cliente Scunna

Os clientes da Scunna, empresa gaúcha especializada em soluções de segurança, terão consultoria da Andrade Soto para fazer uma medição e diagnóstico no que se refere à vulnerabilidade do negócio.

Europraxis: consumer experience no Brasil

A Europraxis, empresa de consultoria pertencente à espanhola Indra, lança no Brasil sua unidade de atendimento Europraxis Curious, focada em serviços de “customer experience”.

A estimativa da companhia é que até o fim de 2011 a nova área represente cerca de 20% do faturamento local da consultoria.

Na prática, a divisão presta consultoria para empresas em processo de desenvolvimento de produtos, posicionamento de marcas e definição de estratégias de negócio.