Tamanho da fonte: -A+A

A Softcorp, que no ano passado e neste passou por várias mudanças – foi de revendedora para integradora de soluções, além de alterar o cargo diretivo, que ganhou Daniel Carneiro da Cunha na função de CEO – traça metas ambiciosas também para os próximos anos: a companhia pretende chegar aos R$ 300 milhões de faturamento em 2013.

Para tanto, a estratégia será manter o foco em serviços, área que em 2008 representou de 10% a 11% da receita de vendas indiretas da empresa e, em 2009, deve representar 20% dos resultados, passando a 30% em 2013, informa o Reseller Web.

Além disso, a aposta também estará no setor de governo. O segmento saltou de 17%, no ano passado, para 25% nos negócios da empresa neste exercício, quando o crescimento das vendas para o setor chegará a 40%, segundo projeta Cunha.

Fundada em 1989, a companhia recebeu, em 2001, investimentos da IdeiasNet, que hoje detém 97% de participação no negócio, e, no ano seguinte, iniciou a aquisição de concorrentes e abertura de filiais, que hoje somam seis nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo e Pernambuco.

Já em 2002, o faturamento ficava inferior a R$ 10 milhões, o que no ano passado mudou para R$ 70 milhões. Em 2009, a projeção é crescer de 15% a 20%.

Parceira de nomes como Microsoft, HP, Cisco, 3Com, McAfee, Symantec, CA, Citrix e Adobe, a integradora recebeu, nos últimos dois anos, aportes de R$ 4 milhões da IdeiasNet, o que ajudou a passar pela crise econômica, conforme contou Cunha ao Reseller Web.