Tamanho da fonte: -A+A

O Grupo Linx, especializado em soluções de TI para o varejo, acaba de adquirir a Dia System e a CNP Engenharia de Sistemas, software houses especializadas em DMS (Dealer Management System), sistema de gestão para concessionárias de veículos.

A soma das bases de clientes das duas empresas fica em cerca de 1,6 mil concessionárias, o que corresponde a aproximadamente 25% do mercado nacional, incluindo nomes como Toyota, Peugeot, Honda, GM e Ford.

As companhias adquiridas serão responsáveis por cerca de 12,5% do faturamento do Grupo Linx em 2011, que deverá superar a marca de R$ 200 milhões, segundo Alberto Menache, diretor presidente da Linx.

IPO antecipado
Com isso, afirma o executivo, a oferta pública inicial (IPO) de ações da Linx na Bovespa, prevista para 2014, poderá ser antecipada.

"Com Dia System e CNP, camos continuidade à estratégia de expansão via aquisições de empresas com negócios complementares e focados no varejo, preferencialmente em novas verticais ou sub-segmentos", comenta o presidente.

As soluções da Dia e da CNP são, respectivamente, o sistema Sisdia e o Apollo, ambos voltados à automatização de processos de negócios de concessionárias automotivas, incluindo vendas, pós-vendas, peças e serviços, além de módulos financeiro, contábil e fiscal, entre outros.

Fica como está
Com a compra pela Linx, os atuais executivos das duas empresas, Dario de Sena Gouvêa, sócio fundador da Dia; e Homero Giuseppe Legnaghi Filho, diretor executivo da CNP, seguirão como responsáveis pela gestão dos respectivos negócios.

Comprando e crescendo
A política de crescimento da Linx via aquisições, seja com recursos próprios, como no caso das atuais incorporações, seja com participação do BNDESPar, que detém uma participação acionária de 21,7% no grupo, iniciou em maio de 2008, com a compra da Quadrant.

Em seguida, a corporação adquiriu a Formata e, mais recentemente, CSI e Inter Commerce.

A empresa deve finalizar 2010 com faturamento na casa de R$ 130 milhões e estima, nos próximos quatro anos, ultrapassar a casa dos R$ 300 milhões.

"A cifra poderá ser antecipada com estas incorporações", acredita Menache.

Com todas as compras, o grupo passou a ter aproximadamente 1,2 mil colaboradores,  cinco mil clientes e mais de 52 mil pontos de vendas (PDVs) instalados em todo o território nacional.

A estrutura física hoje é composta pela matriz em São Paulo e filiais em Montenegro, Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Jaboticabal, São Carlos e São José do Rio Preto, além de 17 canais de distribuição no Brasil, América Latina e Europa, o que soma mais de 52 mil PDVs instalados.

Atuando nos segmentos de vestuário, calçados, supermercados, home centers, farmácias, eletro-eletrônicos e eletrodomésticos, acessórios e jóias, presentes, concessionárias, auto-peças, food-service, postos de combustível e entretenimento, o grupo é composto por cinco unidades de negócio: Linx Sistemas, Linx Telecom, Linx Fast Fashion, Linx Logística e Linx Prevenção de Perdas.