Não é só o faturamento da paulista Acesso Digital que aumentou, ficando em R$ 12 milhões em 2011, alta de 71% sobre 2010: a estrutura física também, com uma nova unidade em Pernambuco.

A operação é a segunda da companhia, especializada em tecnologia para digitalização de documentos, no Nordeste. A primeira fica em Salvador.

 
Em Pernambuco, a empresa já atende a clientes como Grupo Cenconsud, Rede Eletroshop e Redesplan (controladora dos cartões das Lojas Esplanada Express), entre outros. 
 
Para ampliar a carteira, o foco é a oferta de serviços para gestão de notas fiscais de produtos e serviços, tanto em papel quanto eletrônicas, além do atendimento a redes varejistas que possuem cartões private label. 
 
Tudo possibilitado pelo carro chefe do portfólio, o software Safe-Doc, que é direcionado a mais de 80% dos segmentos da economia.
 
“O Nordeste é um mercado rico e diversificado, no qual vemos oportunidades de crescimento a curto, médio e longo prazo”, avalia Edgar Ferretti, diretor Comercial da Acesso Digital.
 
Segundo ele, o Safe-Doc agiliza a concessão de crédito ao consumidor no setor varejista e pode reduzir até 90% da ocorrência de fraudes com cartões private label.
 
Já na digitalização de notas fiscais, a ferramenta é indicada, segundo ele, para empresas de médio e grande portes que possuem diversos departamentos, filiais e unidades. 
 
Pequenas companhias também podem usar o software.
 
“Para adquirir nossa solução, não é necessário fazer investimentos iniciais e a mensalidade é acessível a empresas de todos os portes”, finaliza Ferretti.
 
A nova unidade nordestina é aposta da Acesso Digital para chegar à meta de dobrar o faturamento em 2012, além de ampliar em 40% o quadro atual de funcionários, que passou de 51, em 2010, para 76, em 2011.  
 
A companhia tem, ainda, a meta de ser a empresa de seu setor que mais cresce no Brasil, conforme anunciado no ano passado, na abertura de uma filial em Curitiba – segunda no Sul, região onde a Acesso atende a mais de 21 clientes ativos, respondendo por cerca de 8% do faturamento geral.