Agro Bom Jesus: TI é força do agronegócio!

05/04/2011 16:19

A Cooperativa Agroindustrial Bom Jesus, de Lapa-PR, aposta na TI para atuar junto a cerca de 3,7 mil associados em mais de dez cidades, gerindo o recebimento e distribuição de cereais e insumos, além de administrar um faturamento anual de cerca de R$ 250 milhões.

O gerente de Informática e TI da Bom Jesus, Walmir Hoffmann Stanula

Tamanho da fonte: -A+A

A Cooperativa Agroindustrial Bom Jesus, de Lapa-PR, aposta na TI para atuar junto a cerca de 3,7 mil associados em mais de dez cidades, gerindo o recebimento e distribuição de cereais e insumos, além de administrar um faturamento anual de cerca de R$ 250 milhões.

A organização da região metropolitana de Curitiba investe, por ano, cerca de R$ 400 mil em tecnologia. Orçamento que só em 2010 englobou upgrade do BI Vistra, da também paranaense Datacoper, e adoção de um software de NF-e do mesmo fornecedor para gerir um total aproximado de 25 mil notas por mês.

“A cooperativa começou com apenas 18 produtores associados, em 1952. Hoje, figuramos entre as 100 maiores empresas do estado e entre as 400 maiores do país no setor de agronegócio”, conta o gerente de Informática e TI da Bom Jesus, Walmir Hoffmann Stanula.

Para dar conta deste crescimento, os sistemas são fundamentais, segundo ele. O BI, por exemplo, é o que embasa, atualmente, não só os negócios realizados pela companhia, mas suas projeções de novos ganhos.

“A ferramenta avisa, por exemplo, a nossos gerentes o preço mínimo e máximo das sacas de cereais. Assim, se em alguma região um gerente faz uma negociação fora dos parâmetros estabelecidos, os gestores financeiros são avisados, corrigem o processo e não há perdas”, comenta o gerente de Informática.

Além disso, há o monitoramento de estoques, planejamento geral e potenciais regionais, o que auxilia na busca por novos negócios.

“Temos o histórico de que produto cada região mais vende, se vendeu tudo o que podia, ou quanto falta para atingir as metas”, destaca Stanula. “Além disso, podemos saber tudo o que o associado compra, o que permite complementar as ofertas: se o seu João comprou semente de soja, mas não adubo, por exemplo, vamos oferecer a ele este produto, podendo incrementar os ganhos”, acrescenta.

E os investimentos em TI não param na cooperativa paranaense. Este ano, a meta é desenvolver um portal de integração com o associado, que permita aos cooperados realizar todo tipo de consulta automaticamente.

“Este é um programa em fase de desenvolvimento”, destaca o gerente de TI que comanda uma equipe formada por quatro pessoas, que atuam em suporte de hardware e software.

Força no campo
A Agroindustrial Bom Jesus não é o único cliente da Datacoper no setor de agribusiness - aliás, a companhia é forte nesta área, atendendo a cooperativas, frigoríficos, revendas de insumos, entre outros players do segmento.

Outro case da companhia nesta área, desta vez com soluções de mobilidade, é a Cooperativa Agroindustrial Alfa, que opera em Santa Catarina e no Paraná.

A cooperativa adotou um software da empresa cascavelense para controle de produtividade no campo via celular.

“Com a solução, técnicos agrícolas, produtores rurais e cooperativas podem ficar interligados”, comenta Cezar Luiz Bernarndon, diretor da Datacoper.

Na CooperAlfa, a solução foi aplicada à gestão da rotina de visitas ao campo.

“A inserção da nova tecnologia começou aos poucos. Em 2008, seis de nossos técnicos agrícolas passaram a levar o aparelho para as propriedades rurais. Já em 2009, o número de usuários aumentou para 22 e fechamos 2010 com mais 96 adeptos do sistema”, destaca o coordenador técnico da cooperativa, Claudinei Turmina.

Segundo ele, a previsão é que, este ano, a solução passe a ser usada por 100% da equipe técnica e de vendas da CooperAlfa.

Já o gerente de Produtos da Datacoper, Ricardo de Almeida Pereira, afirma que o software minimiza as possibilidades de erro no trabalho dos técnicos de campo.

“As chances de digitar algo errado ou esquecer algum detalhe do atendimento diminuem, já que os dados são lançados automaticamente em um sistema integrado com o da cooperativa, ainda no campo”, afirma Pereira. “A partir destes dados, a cooperativa tem controle de produção, tipos de ocorrências registradas, volume de atendimentos por produtor, entre outros”, complementa.

Já o cruzamento das informações, que também é feito pelo software, pode ajudar no planejamento de safras, previsões de colheitas, metas de venda e outros processos.

“Tudo sem que os gerentes ou diretores precisem perder tempo quantificando dado por dado: tudo é gerado de forma simples e clara pelo sistema”, finaliza Pereira.

Do Paraná ao Paraguai
Especializada em ERP, BI, CRM, CRM Mobile e NF-e, a Datacoper atende a uma carteira de mais de 200 clientes que, em 2011, deve aumentar em aproximadamente 130 novas contas só para os produtos de BI e CRM, segundo Bernarndon.

A clientela da companhia se estende pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás e Minas Gerais, além do Paraguai.

Ao todo, a empresa cascavelense emprega 106 colaboradores e, em 2010, faturou R$ 4,9 milhões, um crescimento de 7,5% sobre 2009.

Já a carteira de clientes cresceu 26% no ano passado.

Para 2011, a projeção da companhia é ampliar em mais de 60% sua base instalada de sistemas.

Veja também

Marasca: indicador e estratégia em dia com SAP

A Marasca, companhia prestadora de serviços de beneficiamento de cereais, produtora de sementes e comerciante de insumos com 27 filiais no Rio Grande do Sul, acaba de iniciar o uso do SAP, implementado pela Sonda em um projeto da ordem de R$ 1,5 milhão.

A empresa, que trabalha com uma média de 12 milhões de sacas de cereais/ano e em 2011 projeta faturar R$ 500 milhões, decidiu pelo SAP All in One especialmente em função da necessidade de um sistema mais flexível e focado em indicadores de resultados.

SPRO, Maxicon e SAP: foco no agronegócio

A curitibana SPRO IT Solutions lança o SPROMaxys, solução voltada ao mercado de agronegócio, com foco no segmento de grãos. Conforme a companhia, é o primeiro sistema específico para este segmento que permite integração com o ERP SAP.

BsBIOS: um power no SAP com SPROMaxys

A BsBIOS, empresa de Passo Fundo que produz e comercializa mais de 160 milhões de litros de biodiesel por ano, adotou o SPROMaxys, fornecido pela curitibana SPRO IT Solutions, para otimizar o controle de processos envolvendo a originação dos grãos usados como matéria prima.

Embrapa: software grátis para criador de gado

A Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, lança o Invernada, software voltado a produtores rurais que permite o planejamento da produção de bovinos de corte.

A solução, desenvolvida em parceria com as empresas AgroSol e Bellman Nutrição Animal, será oferecida via download gratuito, no site da Embrapa.

Com Digibase, satélite ajuda agronegócio

A Digibase, especializada em bases de dados geográficos, lança a Solução Verde, para monitoramento de áreas agrícolas e gestão da produção de alimentos.

A solução utiliza a base de imagens de satélite da Digibase para dar ao usuário informações sobre biomassa, tamanho de áreas de cultura agrícola, fases de crescimento e colheita, dados de cobertura de solo e mudanças ocorridas nas áreas plantadas, entre outras.

Agronegócio: TI brasileira vai ao México
Totvs, Biosalc e Nexo CS serão as três representantes da vertical brasileira de Agronegócios do Projeto Brazil IT (PSI-SW) a participarem da missão comercial organizada pela Softex/Apex-Brasil ao México.
ERP Maxys gere R$ 4 bi em agronegócios/ano
A Maxicon, empresa de Toledo-PR especializada em soluções para o agronegócio, projeta um crescimento de 30% para 2009.

A empresa, que comemora dez anos de mercado, baseia a projeção nos bons resultados dos últimos tempos: hoje, a companhia soma, por exemplo, 1,2 mil usuários diretos de seus sistemas, que são utilizados para a gestão de aproximadamente 4,8% de toda produção de soja do Brasil
CPM Braxis mira o agronegócio
A CPM Braxis lança um portfólio de soluções focado nas empresas de toda a cadeia produtiva dos setores agrícola e pecuarista.

As ferramentas, desenvolvidas a partir de experiências da companhia no atendimento de grandes clientes do agribusiness, atendem a todo o ciclo produtivo das companhias - sejam processos industriais, de campo ou back Office.
Accenture: Brasil é centro para agribusiness

A Accenture vai concentrar no Brasil sua estratégia de negócios para o mercado de agronegócio. Para isso, a companhia inaugura nesta terça-feira, 30, em São Paulo, seu primeiro Centro de Excelência focado nesta vertical.

Em sua abertura, o centro disponibilizará 15 soluções de gestão e tecnologia, número que deverá se expandir para 25 até 2013.

Organiza e Magic: NF-e para agribusiness
A Organiza Software, especializada em ERP para a indústria têxtil e de venda e distribuição de grãos, acaba de firmar uma parceria com a Magic Software Brasil para atender a clientes do segmento de agribusiness.
Procwork: SAP para Adubos Araguaia

A Adubos Araguaia, fabricante de fertilizantes com três fábricas no Centro Oeste do Brasil, adotou um ERP da SAP com template pré-configurado  para o segmento de agribusiness fornecido pela Sonda Procwork.

A Sonda cuidará de todo o projeto, incluindo venda da licença de uso à implementação, passando pelo monitoramento 24x7, suporte e pela manutenção do sistema.