Tamanho da fonte: -A+A

A cloud não deve ser uma realidade nas empresas até, pelo menos, 2014.

A previsão é do diretor de TI da Ebusiness Brasil, Ricardo Barato. A consultoria fez recentemente uma pequisa com 222 empresas de grande e médio porte no Brasil, buscando avaliar os usos da tecnologia no meio corporativo.

“O cenário mostra de fato que, se cloud computing vier a ser uma realidade nas empresas, não irá acontecer em menos de quatro anos”, diz diretor.

Dados do estudo Maturidade da Cloud Computing no Brasil indicam que apenas 31% das companhias brasileiras têm alguma aplicação em cloud, apesar de 90% declararem que acreditam nos benefícios da nuvem.

Para Barato, contribui para o cenário o fato de as equipes de TI terem dificuldades em argumentar a favor da cloud.

“O nome não é alto explicativo. As áreas de negócios acreditam que todas as informações estratégicas estarão abertas na internet”, explica Barato.

Entre as empresas que não usam a nuvem, 60% não tem se quer previsão de implementação. Dos entrevistados, 48% que afirmam que a maior desvantagem da cloud computing está relacionada à cultura, seguido pela segurança (39%).

Segundo a Gartner, acloud computing é uma das tecnologias estratégicas para 2011.

Dados do IDG divulgados no primeiro semestre indicam que a capacidade de storage deve crescer em 93% até 2013. E o faturamento com aplicações na nuvem deve chegar a US$ 44,2 bilhões em três anos, prevê a IDC.

Também segundo a IDC, dos US$ 18 bilhões em receitas de TI que o Brasil deverá movimentar em 2014, a maior parte virá do segmento corporativo, especialmente da oferta de serviços relacionados a cloud computing.