NAS NUVENS

HP: híbrido para dobrar adoção de cloud

10/04/2012 16:06

Nuvens híbridas estão em alta e a HP tem um novo produto focado no conceito.

Tamanho da fonte: -A+A

Até 2020, os modelos de fornecimento de nuvem híbrida, envolvendo não apenas cloud pública e privada, mas também características de TI tradicional, irão duplicar.

É o que garante uma pesquisa da HP, segundo a qual, no momento, um a cada dois CEOs e diretores financeiros ouvidos estão elaborando estratégias de nuvem para suas empresas, sendo que a expectativa é que 43% das companhais invistam de US$ 500 mil a US$ 1 milhão por ano em cloud computing nos próximos oito anos e quase 10% gastem mais de US$ 1 milhão por ano nesta área.

Ainda segundo o estudo, mais de 80% dos executivos ouvidos destacam a cloud computing como tão impactante para o cenário de TI e negócios mundial quanto o foram a Internet e, mais recentemente, a virtualização.

Para justificar o aumento previsto para adoção da computação em nuvem, em especial no modelo híbrido, a HP ressalta alguns impulsionadores, como rapidez no desenvolvimento de aplicativos (com 50% das respotas), agilidade para responder a mudanças no mercado (32%) e custos menores de operações (18%).

Os participantes da pesquisa também listaram as três principais barreiras para a adoção em massa de serviços de nuvem.

A lista é encabeçada pela preocupação com segurança (35%), seguida pelo temor de problemas na transformação dos ambientes internos de TI (33%) e por questões de conformidade e governança (17%).
 
De acordo com os executivos entrevistados para o levantamento, a aceleração na adoção de serviços de nuvem também aumenta a necessidade de estratégias holísticas para gerenciamento de ambientes de TI.

Neste ponto, quase 50% dos entrevistados admitiram que suas empresas estão usando soluções de nuvem que não são autorizadas pelo departamento de TI, enquanto 18% não tinham uma perspectiva clara sobre as soluções de computação em nuvem que rodam sem o crivo do setor.
 
Com base nas respostas dadas à pesquisa, a projeção é que esse problema continue aumentando: 69% dos executivos de negócios e 54% dos de TI responderam estimar que o uso de soluções de cloud não homologadas pela TI chegue à casa dos 50% até 2020.

"As empresas precisam de soluções seguras que facilitem a transformação para a computação em nuvem, com risco ou interrupção mínima nos serviços e que ofereçam governança sem ficarem presas em apenas um fornecedor. Portanto, o caminho para a adoção em massa de computação em nuvem requer um ambiente híbrido, que consista da TI tradicional, bem como ofertas de cloud pública, privada e gerenciada", conclui a pesquisa.

Intitulado "The Future of Cloud", o estudo foi realizado, por encomenda da HP, pela Coleman Parkes Research em fevereiro de 2012.


Foram realizadas 550 entrevistas dentro de empresas de grande (mais de 1 mil funcionários) e médio porte (500 a 1 mil funcionários), nos EUA, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Dinamarca, Rússia, República Tcheca, Emirados Árabes Unidos, Índia, China, Japão, Austrália, Coreia, Brasil e México.

Boquinha
Aproveitando as conclusões extraídas de sua própria pesquisa, a HP lança o HP Converged Cloud, oferta que, segundo definição da própria companhia, "é baseada em uma arquitetura comum, que abrange nuvens privadas, gerenciadas e públicas, bem como as soluções de TI tradicionais".

A oferta permite às empresas usuárias criar, gerenciar e proteger ambientes de cloud pública e privada, incluindo desde o espectro de infraestrutura e aplicativos até a esfera de dados.

O pacote também inclui suporte para vários hipervisores, sistemas operacionais, ambientes de desenvolvimento, infraestruturas heterogêneas e um ecossistema de parceiros extensível; além de oferecer gerenciamento e segurança para as três camadas: informações, aplicativos e infraestrutura.

Para tanto, a oferta compreende a infraestrutura convergente da HP, soluções de software HP Converged Management and Security, ofertas de inteligência HP Converged Information e tecnologias baseadas em código aberto, como OpenStack.
 
Conforme Bill Veghte, diretor executivo de estratégia e vice-presidente executivo de software da HP, uma oferta da companhia específica para nuvem pública, com foco na próxima geração de aplicativos web, estará disponível em versão beta pública a partir de 10 de maio.

"O HP Cloud Services lançará sua primeira oferta de infraestrutura pública como um serviço (IaaS), com instâncias de computação ou máquinas virtuais sob demanda, capacidade de armazenamento online expansível e fornecimento acelerado de conteúdo em cache aos usuários finais", explica Veghte.

Como resultado, segundo o VP, os desenvolvedores serão capazes de implementar serviços em questão de minutos e pagar somente pelos recursos que utilizarem.

"A versão beta e privada contará com um serviço de banco de dados para o MySQL e um serviço de armazenamento em blocos que dará suporte à movimentação de dados de uma instância de computação a outra", complementa o executivo.

Na cesta
Além das novas ofertas, a HP já vem investindo em cloud computing com a Autonomy, empresa de seu guarda-chuva especializada em nuvem privada.

A nuvem privada da Autonomy gerencia mais de 50 petabytes de conteúdo da web, vídeos, e-mails e dados multimídia em 6,5 mil servidores espalhados em 14 datacenters ao redor do mundo.

Outra linha de serviços da HP nesta área é a de Engineering Cloud Transformation, que possibilita o uso de nuvem por equipes de desenvolvimento de produtos e projetos de engenharia.

Veja também

HP promete entrada com força na nuvem

Leo Apotheker, presidente-executivo da HP,  prometeu mais lucro, mais dividendos e mais nuvem no futuro da empresa.

O CEO reuniu-se com investidores, pela primeira vez desde que assumiu a dianteira da empresa em  novembro, nessa semana.

Produtos HP consomem 50% menos energia

A HP anuncia a redução de 50% no consumo de energia dos equipamentos de seu portfólio.

O resultado, obtido entre 2005 e 2011, ultrapassa a meta pré-estipulada pela companhia, que, inicialmente, havia objetivado economia de 40% para os equipamentos no prazo previsto.

“Hoje, os produtos que comercializamos são 50% mais eficientes energeticamente do que os fabricados cinco anos atrás”, garante Kami Saidi, diretor de Operações e do Programa Integrado de Sustentabilidade da HP no Brasil.

HP adota Ubuntu em novo serviço cloud

O sistema operacional Ubuntu Linux será a plataforma principal por trás dos serviços que a HP deve lançar em breve em clouc computing, informa o site Ars Technica.

Recentemente, informa o site, a HP abriu um programa beta privado para IaaS em nuvem que oferecerá capacidade computacional e de armazenamento, usando a plataforma open source OpenStack, desenhada para operar com múltiplos sistemas e plataformas de virtualização.

As opções incluem VMware, Hyper-V, Windows e Xen.

HP e Microsoft fecham acordo focado em nuvem

A HP e a Microsoft anunciam uma iniciativa conjunta global de quatro anos para a entrega de aplicativos de comunicação e colaboração da Microsoft, por meio de serviços globais de nuvem privada e pública.

Cloud será 3% do segmento de BI em 2013

Estudo da consultoria Gartner indica que as ofertas em nuvem para BI responderão por apenas 3% da receita do setor em 2013.

“A necessidade de análise não se enquadra a muitos requerimentos de organizações”, diz o vice-presidente de pesquisa do Gartner, Andreas Bitterer.

Para ele, o futuro próximo para BI é desconexo entre as tendências do mercado de TI em geral.

Forrester prevê cloud na mão de cartéis

O mercado de cloud computing será de “cartéis da computação” até 2020.

A previsão é da consultoria Forrester Research, que divulgou um relatório com o cenário de tecnologia e negócios para os próximos oito anos.

Segundo o estudo, a cloud computing chegará mais rápido do que o mercado pensa, e será controlado por pouquíssimas companhias que lutarão pelo direito de hospedar os dados das empresas.

INIMIGO NA TRINCHEIRA
Dedalus: CIOs travam cloud computing

Parceira de Google e Amazon, empresa levou mais de 300 à nuvem