Tamanho da fonte: -A+A

O Bradesco projeta investir R$ 4 bilhões em TI este ano, 14% a mais do que destinou a este segmento em 2010.

Os recursos serão aplicados à atualização do parque tecnológico da instituição, bem como à implantação de um novo sistema de gestão de conteúdo e soluções de digitalização de documentos.

A biometria, por exemplo, é um dos projetos que encabeça a lista.

O banco planeja adotar o sistema de leitura da palma da mão como senha de acesso às transações bancárias na rede de caixas eletrônicos de todas as suas 3.672 agências, além de pontos externos de ATMs.

A instituição já utiliza a biometria: atualmente, mais de cinco milhões de correntistas fazem uso do sistema em 22 mil ATMs, mas têm de digitar uma senha de seis números também.

Com o novo sistema, a leitura biométrica das veias da mão será o único mecanismo de identificação.

A biometria começou a ser implantada pelo Bradesco em 2007. Até o ano passado, o investimento realizado neste setor já havia somado cerca de R$ 15 milhões.

Para implantar o sistema nos 10,5 mil caixas eletrônicos que ainda não dispõem da tecnologia, o banco ainda deve gastar mais R$ 7,5 milhões, segundo informou ao TI Inside o vice-presidente de TI do Bradesco, Laércio Albino Cezar.

Ainda conforme o VP, a identificação biométrica também trará significativa redução de custos à instituição, especialmente porque dispensa o uso de tecnologias para senhas de acesso e de tokens – até hoje, o banco já distribuiu em torno de 2,9 milhões de tokens aos correntistas.