O Santander e o Banco Real, pertencentes ao Grupo Santander Brasil, unificaram seu processo de truncagem de cheques - compensação sem papéis, que dispensa a apresentação física do cheque, levando em conta a imagem digitalizada – por meio de uma solução da IPSA.

A truncagem é uma obrigatoriedade imposta pela Febraban. Para atender à norma, desde novembro de 2009 os dois bancos uniram seu sistema de compensação no estado de São Paulo em um único centro de processamento, onde são processados, atualmente, mais de 1,4 milhões de cheques diários.

Com isso, o controle do processo de truncagem e conferência de assinaturas e formalísticas fica a cargo da IPSA, eliminando a necessidade das agências executarem tais atividades.

Além disso, a solução da companhia – batizada de Atril - permite a consulta online da imagem dos cheques a partir das agências e postos de atendimento, possibilitando também a entrega de uma cópia dos mesmos aos clientes de forma imediata em suas agências ou via web.
 
A Atril é uma plataforma para captura, extração, processamento, armazenamento e consulta de dados, imagens e documentos. Atualmente, a solução processa mais de 1,6 bilhão de documentos por ano em suas mais de duas mil instalações em todo o mundo.

Especializada em soluções de software para o tratamento de documentos por tecnologia de imagem, a IPSA atende a clientes não só do setor bancário, mas também da administração pública, seguros e saúde, entre outros.

Já o Grupo Santander Brasil, que reúne os Bancos Santander e Real, em dezembro de 2009 contava com ativos totais de R$ 316 bilhões, R$ 242 bilhões de captações totais, mais de 22 milhões de clientes e mais de 10 milhões de correntistas ativos.

A rede de atendimento é composta de 3.593 pontos de venda, entre agências e postos de atendimento.
 
Em todo o mundo, o grupo - sediado em Madri – conta com 13.660 agências, em torno de 170 mil funcionários e cerca de 90 milhões de clientes. O lucro líquido em 2009 alcançou US$ 12,4 bilhões.