Com salto de quase 4% nas ações depois do anúncio de novos produtos e projeções, a Oracle estimou que seu luro no trimestre atual deve superar as previsões de Wall Street.

Nos últimos seis anos, relata a agência Reuters, a empresa desembolsou mais de US$ 42 bilhões em aquisições, incluindo a compra da Sun Microsystems em janeiro deste ano.

Os novos softwares tiveram alta de 21% no segundo trimestre fiscal, encerrado em 30 de novembro, na comparação com um ano antes, somando US$ 2 bilhões.

No período anterior, a empresa estimava que as vendas subiriam entre 6% e 16%.

Segundo a Reuters, vendas de novos softwares são relevantes para investidores porque resultam em altas margens e contratos de manutenção de longo prazo, além de serem uma garantia de lucros futuros para a companhia.

A terceira maior fabricante mundial de software afirmou possuir US$ 2 bilhões engatilhados em vendas do computador Exadata. Três meses atrás, a empresa informou que o valor era de US$ 1,5 bilhão.

A Oracle prevê um lucro por ação, excluindo itens, de entre US$ 0,48 a US$ 0,50 no trimestre corrente, acima de estimativa de analistas de US$ 0,46, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A receita cresceu 48% por cento na relação anual, para US$ 8,58 bilhões, apoiada nas vendas decorrentes da compra da Sun. Analistas esperavam receita de US$ 8,34 bilhões.

As vendas de hardware foram de US$ 1,08 bilhão, ligeiramente abaixo da projeção do mercado de US$ 1,1 bilhão.

No segundo trimestre do ano fiscal 2011, a Oracle teve alta de 27% na receita operacional, totalizando US$ 2,8 bilhões. A margem operacional foi de 32%. A receita líquida teve aumento de 28%, alcançando US$1,9 bilhões.