Tamanho da fonte: -A+A

A crise econômica teve impactos menores do que os esperados nas vendas de sistemas de gestão no Brasil em 2009, indica o estudo “Latin America Semiannual ERP Tracker”, da IDC.

A pesquisa aponta que o mercado de ERP movimentou mais de R$ 1,1 bilhão em licenças no primeiro semestre de 2009, em comparação com os R$ 923,6 milhões do mesmo período de 2008.

A estimativa para todo o ano de 2009 é de que as empresas brasileiras tenham investido mais de 2,5 bilhões de reais em sistemas de ERP– um crescimento de 17% em comparação a 2008.

“Muitas empresas mantiveram seus investimentos porque estavam crescendo e precisavam de ferramentas de TI que suportassem esse crescimento, como soluções para faturamento, emissão de notas fiscais e pontos de venda”, comenta Mariana Zamoszczyk, analista sênior de Applications Software da IDC Latin America.  

O estudo sobre o mercado de ERP abrange soluções de CRM, ERM, SCM e O&M.

Os mercados verticais que mais se destacaram na primeira metade de 2009 foram: serviços (16,53%) e comércio (13,11%), atrás somente da manufatura, tradicionalmente a área mais forte, que teve participação de 43,46% nas vendas de ERP no período.

De acordo com o IDC, o mercado brasileiro de ERP é maduro no segmento de grandes corporações e tem um “grande potencial no espaço de médias e pequenas empresas”. A projeção é de crescimento de 8,39% ao ano até 2013.

Na América Latina, o Brasil já responde por aproximadamente 50% das vendas de licenças de sistemas de ERP.

Já o México corresponde a 23% e a Argentina, a 7%. Os 20% restantes são divididos entre os demais países da região.