Telefônica gasta 2,3 milhões de folhas a menos com a certificação digital

A Telefônica deve economizar R$ 460 mil por ano com o processo de certificação digital. Adotada por algumas áreas da empresa no ano passado, a iniciativa será consolidado ao longo de 2011.

Além de minimizar os impactos ambientais – redução de 2,3 milhões no consumo de folhas de papel –, o projeto baixa de 220 horas para quatro o trabalho mensal de seleção de amostras em campo realizado pela empresa.

A implantação vem sendo feita em parceria com a Certisign.

Segundo a Telefônica, a primeira área a adotar o sistema da certificação digital foi a gerência de inteligência de redes, responsável pela fiscalização dos serviços de rede externa.

O processo de certificação digital atesta a identidade de uma pessoa ou empresa na internet, permitindo a autenticação, a garantia jurídica e a confiabilidade dos documentos e dados enviados e recebidos eletronicamente.

Desde agosto de 2010 as equipes da Telefônica e de suas empresas parceiras, responsáveis pela fiscalização e execução de serviços como instalação e reparo de linhas fixas e Speedy, deixaram de imprimir as três vias dos documentos, antes assinados manualmente.

Em seu lugar, utilizam agora tokens, dispositivos semelhantes a um pen drive, que contém chaves eletrônicas e informações criptografadas da identidade de seu portador.

Numa das etapas do processo, em que são colhidas as amostras dos serviços em campo e inseridas no Sistema de Workflow, os funcionários contam com o suporte de 50 smartphones da HTC.

A expectativa é reduzir, em um ano, R$ 460 mil nos gastos com materiais de escritório, logística, armazenamento e recursos de gestão – isso se contabilizados apenas os custos da Telefônica, e não os de terceiros.