Tamanho da fonte: -A+A

A cooperativa agrícola Cotrijal, de Não-Me-Toque, a 276 quilômetros de Porto Alegre, adotou um sistema de controle de armazenagem de grãos da Datum para sanar uma brecha de gestão na produção: os silos.

Parte fundamental do negócio da entidade, os estoques não passavam pela gestão informatizada.

“Era só com planilha, o que não era muito prático. Nós recebemos o produto na balança, quando entra na cooperativa, e lançamos tudo no nosso ERP. Depois, quando vai para a indústria, também controlamos. Mas tínhamos uma lacuna na hora da passagem pelo silo”, relembra Ari Heck, gerente de TI da Cotrijal.

Implantado em dezembro, o sistema já opera em 20 silos, oferecendo informações quanto à pesagem e ao tratamento dispensado aos grãos de cinco filiais da cooperativa.

Isso representa menos da metade do total de cilos da entidade, mas chega a 180 mil toneladas de grãos.

Do zero
Com a dificuldade de encontrar uma solução no mercado, diz Heck, a foi a solução, Datum desenvolvendo o projeto do zero especialmente para a Cotrijal.

Foram 2,8 mil horas de serviço para o desenvolvimento e a implantação, mais do que a implantação do SPED, feito com a Sispro em 2010, último grande projeto de TI da cooperativa, que demandou 2,5 mil horas, lembra Heck.

Essa primeira etapa da Datum estará completa até 30 de abril.

“Com o controle em andamento, saberemos quanto de cada grão temos em que silo e que tipo de tratamento eles receberam”, salienta Heck.

Por tratamento, Heck se refere a informações como controle de pragas, que serão inseridas no sistema, posteriormente integrado ao ERP próprio da Cotrijal. Assim diz Heck, todas pontas da cooperativa estarão informatizadas.

“Isso vai agilizar nossos processos bastante”, avalia.

Hoje, a Cootrijal tem 12 pessoas na TI, sendo sete em desenvolvimento e cinco em infraestrutura.

Com um investimento médio de 0,5% do faturamento anual em tecnologia – dentro da média do agronegócio, segundo a consultoria PwC – , o setor conta com banco de dados Oracle e módulos da Senior para folha de pagamento, além do ERP próprio e do SPED da Sispro.

A Cotrijal conta com 5.385 sócios e 1200 funcionários, atuando em 14 municípios. No total, 7,5 mil produtores usam a estrutura da cooperativa, que no ano passado teve faturamento de R$ 800 milhões.

Para esse ano, a expectativa é de queda para R$ 600 milhões, em função da estiagem, lamenta Heck.

Ainda assim, a entidade refletiu, no ano passado, a situação do setor do agronegócio como um todo.

Em 2011, diz o IBGE, o PIB do setor fechou em R$ 942 bilhões e teve participação de 22,74% na economia brasileira, sendo que o crescimento foi o dobro da economia brasileira, que avançou 2,7%.

O cenário chama a atenção de empresas como a porto-alegrense Datum.

“Este é um segmento onde a Datum tem expertise e irá investir para sua expansão, onde já obtém bons resultados”, destaca o gerente de relacionamento da empresa, Cesar de Lucena.