Fernando Bitencourt, gerente da Quanam em Porto Alegre

Tamanho da fonte: -A+A

A uruguaia Quanam, consultoria especializada em projetos Oracle, acaba de abrir em Porto Alegre sua terceira unidade no Brasil.

Já presente em São Paulo e Rio de Janeiro, a companhia projeta faturar R$ 25 milhões no país este ano. Em 2012, a meta é que o escritório gaúcho represente 10% da receita geral.

“Em 2013, planejamos elevar a participação até 15% e, em 2014, a cerca de 20%”, conta o sócio e diretor da Quanam no país, José Carlos Nordmann.

Galgando posições
Segundo ele, o Brasil é a operação mais jovem e mais próspera da companhia: aberta há oito anos, a subsidiária brasileira cresce acima da média geral da empresa, que tem ficado na casa dos 14%/ano, e hoje é a terceira em faturamento, atrás de Uruguai e México.

Até 2013, a meta é chega ao primeiro lugar, garante o executivo.

E a unidade de Porto Alegre, sediada no Tecnopuc, é uma das apostas para fomentar esta meta, segundo o gaúcho Fernando Bitencourt, gerente da operação gaúcha.

Tanto que, já no ano que vem, a meta é criar por aqui um Centro de Excelência em serviços de soluções de negócio de EPM e BI.

“Nosso know-how no universo Oracle, com mais de 1 mil módulos implantados nos dão credibilidade, que é incrementada pela presença local, que sabemos ser muito importante para o mercado gaúcho”, destaca Bitencourt.

Nordmann complementa que a proximidade entre a nova filial e a matriz de Montevidéu ampliam as possibilidades do atendimento local.

“Na matriz, temos quatro fábricas de software próprias, que podem apoiar a filial porto-alegrense em picos de demanda”, comenta o diretor.

Público alvo
Da nova filial, a meta é atender a toda a região Sul, onde hoje a empresa já atende a clientes em Santa Catarina e Paraná, como diversas divisões do Grupo Engevix, a partir do escritório de São Paulo.

Com o escritório local, que começa com três pessoas na área de operações (serviços) e uma no comercial, o foco será expandir a carteira com a mira em setores como agronegócio, manufatura, engenharia e construção, além de ensino superior.

Experiência gaúcha
Neste último segmento, inclusive, a Quanam já tem experiência por aqui: a empresa foi a responsável pelo desenvolvimento de pilares de integração de sistema não atendidos pela PeopleSoft na época da implantação do ERP da empresa na Unisinos – por volta de 2004, quando a PS ainda não pertencia à Oracle.

Carteiraço
Em todo o país, a Quanam atende a cerca de 50 clientes.

A carteira inclui nomes como Santander, Citigroup, Ipiranga, Michelin, Porto Seguro, Claro e Makro, entre outros.

Já no geral, são mais de 500 clientes, atendidos pelas unidades do Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Colômbia, Equador, México e EUA.

O número de consultores também fica em torno de 500, especialistas nas linhas  Oracle ERP (PeopleSoft, JD Edwards e E-Business Suite), Campus Solution, Utilities, SCM e GRC – sendo, nesta última, a única companhia certificada como especialista pela Oracle no Brasil, garante Nordmann.

Além disso, a empresa mantém uma fábrica de software dedicada a BI e EPM, com mais de 50 consultores.

Concorrência
As especializações são, segundo Nordmann, o diferencial da consultoria uruguaia para competir no mercado Oracle do Sul, onde recentemente outros nomes, como Walar e Bertini, também investiram forte.