A Art IT, provedora de soluções em software e serviços de network que projeta para este ano um crescimento de 30% sobre os R$ 15 milhões faturados em 2009, anuncia seu novo presidente. Renato Alexandre Silva, sócio da empresa que anteriormente ocupava a diretoria de Software, assume o cargo recém criado.

Como primeira ação, Silva finalizará a implantação de uma série de mudanças organizacionais, entre elas a criação das diretorias de Projetos e Infraestrutura, que substituem as antigas diretorias de Software e Network, e a promoção de dois executivos de gerentes para diretores.

De acordo com o novo presidente, as mudanças garantirão mais sinergia às áreas e facilitarão o alcance das metas de 2010.

“Anteriormente, tínhamos um diretor para a área de software e outro para a de redes, que tratam de serviços diferentes. Agora, teremos um diretor responsável por todos os projetos e outro para sustentações de operações (infraestrutura)”, comenta Silva. “Em 2009, crescemos cerca de 20% e esperamos uma expansão ainda maior em 2010, graças a grandes projetos que já foram fechados”, explica.

A Art IT conta com cerca de 200 colaboradores. Na nova configuração, a diretoria de Projetos da empresa será assumida por André de Oliveira, promovido de gerente geral de Operações para essa função.

Já a diretoria de Infraestrutura ficará a cargo de Anderson Xavier, sócio que na estrutura antiga era diretor de Network.

Completando as diretorias, João Ubiratan Almeida foi promovido de gerente geral para diretor de Comercial e Marketing, enquanto Romulo de Paula, também sócio da empresa, continua como diretor Administrativo Financeiro.

De olho no Sul
A Art Inteligent Technology possui uma área de software especializada em operações de telecomunicações, atuando na elaboração de projetos que envolvem consultoria, planejamento, arquitetura, desenvolvimento e manutenção de sistemas.

A empresa também oferece a solução Boss, que conta com recursos para a gestão de operadoras, além da elaboração de projetos de rede em empresas de telecomunicações.

Neste mercado, a companhia pretende reforçar o foco no Sul este ano, devido, segundo Silva, ao potencial do mercado de telecom regional.