SAP: P&D com empresas brasileiras

21/10/2010 20:25

A SAP ampliará as suas atividades de pesquisa e desenvolvimento no Brasil na quinta-feira, 27, com a inauguração do Co-Innovation Lab São Paulo.

Resultado de um investimento de 1 milhão de euros, o local é o quinto do gênero no mundo e abrigará atividades de pesquisa da multinacional em parceria com empresas brasileiras.

Os dois primeiros parceiros do centro são a baiana LexConsult, com a qual a SAP fará pesquisa na área fiscal e a mineira Sigga, no campo de mobilidade.

A sede alemã da SAP

Tamanho da fonte: -A+A

A SAP ampliará as suas atividades de pesquisa e desenvolvimento no Brasil na quinta-feira, 27, com a inauguração do Co-Innovation Lab São Paulo.

Resultado de um investimento de 1 milhão de euros, o local é o quinto do gênero no mundo e abrigará atividades de pesquisa da multinacional em parceria com empresas brasileiras.

Os dois primeiros parceiros do centro são a baiana LexConsult, com a qual a SAP fará pesquisa na área fiscal e a mineira Sigga, no campo de mobilidade.

Ao todo, a SAP realiza pesquisas com 40 empresas nos centros localizados em Bangalore, Tóquio, Palo Alto e na sede da corporação em Waldorf, na Alemanha.

“No próximos 12 meses, esperamos iniciar trabalhos conjunto com 10 empresas em todo Brasil”, adianta Axel Henning Saleck, vice presidente global do SAP Co-Innovation Lab Network.

O alemão, que falou com jornalistas brasileiros em um vídeo conferência realizada em São Leopoldo nesta quinta, 21, não revela as áreas de interesse das futuras pesquisas.

Metade das pesquisas dos chamados COILs, que trabalham de forma integrada dentro de uma nuvem privada da SAP, envolvem mais de uma empresa parceira.

Os contratos são feitos por projetos, mas cerca de 70% dos participantes mantém uma participação contínua em iniciativas do gênero.

O COIL brasileiro ficará instalado no prédio da SAP na capital paulista, mas é diretamente ligado à sede da companhia alemã, assim como o SAP Labs Latin America, sediado no Tecnosinos.

O SAP Labs, aliás é mais uma parte da estrutura de pesquisa da multinacional no país. A diferença é que no Labs as pesquisas são mais orientadas a modificações nos produtos já existentes em parcerias com uma só empresa, enquanto o COIL é voltado à criação de tecnologia do zero.

Em agosto, Erwin Rezelman, presidente do SAP Labs Latin America, anunciou em reportagem publicada pelo Baguete Diário um movimento de abertura ao mercado similar ao desenvolvido pelo COIL.

De acordo com Rezelman, a meta seria chegar a fevereiro de 2011 com 15 empresas criando novas soluções em colaboração com o centro de desenvolvimento.

Hoje, já trabalham em parceria com a multinacional no centro a Stefanini, Meta e HCL. Pesquisas também são realizadas com a Unisinos, Ufrgs e USP.

O foco do SAP Labs Latin America são setores bancário, saúde e agricultura. “Em cinco anos o Brasil ditará standarts mundiais nessas áreas e outros países do mundo farão a localização para seus mercados”, prevê o holandês.

Veja também

SAP Labs entre 150 melhores para trabalhar

A SAP Labs Latin America entrou para o ranking das 150 melhores empresas para se trabalhar.

A lista foi divulgada pela Guia Você S/A Exame, publicação especial do mês de setembro. Dentro do setor de Tecnologia e Computação, a empresa sediada no Parque Tecnológico São Leopoldo (Tecnosinos) ficou em terceiro lugar, atrás da Google e da Chemtech.

Tecnosinos é o melhor parque do Brasil

O Tecnosinos, parque tecnológico instalado em São Leopoldo, foi eleito o melhor do Brasil em 2010 pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 23, durante o  XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, realizando em Campo Grande.

SAP ataca novamente com B1

A SAP voltou à carga na oferta do ERP para pequenas e médias organizações SAP Business One,  atualmente com uma base de cerca de 1 mil clientes no país, 64 deles agregados no último trimestre.

Lançado com bastante barulho no Brasil em 2005, o software de gestão não obteve o retorno esperado pela multinacional alemã em um primeiro momento.

SAP Labs de portas abertas

O SAP Labs Latin America – nova denominação do SAP Labs Brasil, fundado há quatro anos em São Leopoldo – vai abrir as portas para parceiros de desenvolvimento nos próximos meses.

De acordo com o presidente do centro de suporte e desenvolvimento da SAP, Ervin Rezelman, a ideia é chegar em fevereiro de 2011 com 15 empresas criando novas soluções em colaboração dentro do que será chamado Co-Inovation Lab.

Furo: SAP Labs já prepara fase II
O SAP Labs Brazil, centro de desenvolvimento de software da SAP localizado em São Leopoldo, já prepara a segunda fase do empreendimento, quando será construído um novo prédio, ao lado e idêntico ao atualmente localizado no Tecnosinos.
 
SBPC: 2% do PIB em P&D até 2020

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) quer quase dobrar o gasto em pesquisa e desenvolvimento da economia brasileira, atualmente em 1,09% do PIB nacional, para 2% em 2020.

A meta supõe um crescimento anual do investimento na ordem de 10,4%, supondo que o crescimento do PIB fique estável em 5% anuais. Na projeção da entidade, o gasto privado em P&D deve ser majoritário, ficando entre 1,1 e 1,2 ponto percentual.

P&D da TCS visita ITA e USP

O vice-presidente de P&D da TCS, K. Padmanabhan, e o responsável por fomentar a inovação nas diferentes áreas corporativas, Shashi Bhushan, estão pela primeira vez Brasil com visitas marcadas no Instituto Tecnológico da Aeronáutica e à Escola Politécnica da USP.

Terra TV terá P&D na Ufrgs

O Terra começa a construir em 2011 um laboratório de pesquisa e desenvolvimento para tecnologias de TV na web na Ufrgs.

De acordo com informações do Jornal do Comércio, o objetivo é encontrar soluções para distribuir vídeo com qualidade para grandes audiências online em múltiplos dispositivos como PCs, TV digital e diferentes celulares.

O portal tem exclusividade para transmissão pela web das Olimpíadas de Londres e do Rio de Janeiro.

P&D no Brasil? As multinacionais acreditam!
A posição do Brasil no ranking mundial de inovação é um dos tópicos abordados pelo sócio-diretor da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, Valter Pieracciani, em artigo publicado no Baguete nesta sexta-feira, 26.

Pieracciani analisa o fato de que, enquanto muitos empresários e pesquisadores avaliam que o Brasil anda mal em inovação, alguns profissionais percebem que a avaliação pode ser bem diferente.
GE terá centro de P&D no Brasil
O presidente e CEO global da GE, Jeff Immelt, confirmou, em um encontro com o ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, e representantes da Apex Brasil, que escolheu o país como localidade para a instalação de um novo centro de pesquisa global da empresa.

A unidade, que deverá gerar 300 empregos diretos, será a primeira da companhia na América Latina. A GE mantém, atualmente, quatro outros Global Research Centes nos Estados Unidos, Alemanha, Índia e China.
Parks leva P&D para o Tecnopuc
A fabricante de equipamentos para TI gaúcha Parks inaugura na terça-feira, 19, às 17h, um Laboratório de Tecnologia e Inovação no Tecnopuc.

“Desde a criação do Tecnopuc, a Parks aguardava um momento oportuno para fazer parte dessa iniciativa”, comenta o gerente de Pesquisa & Desenvolvimento da Parks, Valneis Signor Júnior.
Unisinos cria fundo para P&D
A Unisinos vai usar o capital gerado pelo aluguel do terreno onde se encontra instalado o SAP Labs Brazil dentro da universidade para formar um fundo de financiamento das atividades de pesquisa e desenvolvimento da instituição.

O dinheiro do contrato, assinado pelo prazo de 40 anos, será aplicado em três áreas consideradas estratégicas pela Unisinos: TI, pesquisas geológicas em parceria com a Petrobrás e na área de alimentos, que recentemente recebeu R$ 12 milhões em fundos da União.
T&T: P&D contra crise
A Tools & Technologies está apostando suas fichas em pesquisa e desenvolvimento para superar os efeitos da crise econômica.

Foi inaugurado no Tecnopuc nesta terça-feira, 11, o quinto centro de P&D da empresa. Vão trabalhar no local 40 profissionais, a grande maioria com perfil pleno.

O investimento em infraestrutura – a sala conta com laboratório para testes em servidores de médio e grande porte, 232 pontos de conexão e no break de 65 KVA – foi de R$ 500 mil.