Tamanho da fonte: -A+A

A indiana Tech Mahindra, especializada em serviços de TI, acaba de se fusionar com a Mahindra Satyam, que foi adquirida em 2009 pelo Mahindra Group e desde então mantinha atuação independente. 

 
A união cria uma empresa de US$ 2,4 bilhões, mais de 750 mil funcionários e 350 clientes em 54 países, o que a torna a quinta maior organização de TI da Índia, segundo divulgado pelo grupo.
 
Atualmente, os negócios do grupo indiano se concentram nas Américas, com fatia de 42% na receita geral, com a Europa em segundo lugar, com representação de 35%, e países emergentes em seguida, com 23%.
 
A própria Tech Mahindra já nasceu de uma junção: a companhia é uma joint venture criada em 1986 entre a Mahindra & Mahindra, pertencente ao Mahindra Group, e o BT Group, que hoje detém 23% de participação no capital da companhia. 
 
Com a fusão atual, o grupo indiano passa a deter 26,3% da nova empresa, enquanto o BT Group fica com 12,8%. 
 
Os 10,4% restantes serão convertidos em títulos do Tesouro. 
 
Os acionistas da Mahindra Satyam vão ficar com 34,4% e os da Tech Mahindra, com 16,1%. 
 
Escândalo superado
Em 2009, quando comprou a Satyam, a Mahindra enfrentava um momento de caos, com o então presidente, B. Ramalinga Raju, sob acusações de fraudes no balanço da empresa por anos seguidos. 
 
Na época, o executivo admitiu as fraudes e se demitiu, assim como fez seu irmão, B. Rama Raju, então diretor de Operações da companhia.
 
Mesmo nesta época, a Tech Mahindra figurava como a sexta maior empresa de outsourcing da Índia. 
 
Com a compra da Satyam, se fortaleceu frente a concorrentes como Tata Consultancy Services e Infosys Technologies.